Ajuruteua

Ajuruteua

terça-feira, 29 de novembro de 2011

NO MEU TEMPO... - LÍGIA SAAVEDRA


Conheço pessoas que ficam assustadas e até aborrecidas se voce as coloca no "seu tempo". Coisa de quem é muito vaidoso, tímido ou inseguro com o seu corpo, com a sua vida e por aí...

Aos 57 anos de idade, com muito ainda há para aprender, mas com uma vontade danada de contar o que já vivi, aprendi que "Nada Será Como Antes" como o Milton Nascimento cantou e tenho muita honra em ter vivido o tempo em que o respeito ao próximo, o brio e a honra eram muito importantes para qualquer cidadão de Bem. É certo que, no meu tempo, havia muito mais preconceito e muito menos conhecimento e tecnologia, mas havia amor. Sim, havia muito mais amor.

Vivi a década de setenta com todo o seu lirismo, os seus contrastes e a sua musicalidade. Vivíamos centrados em nossos objetivos políticos ou sociais e nossos problemas eram solucionáveis porque lutávamos para que assim fossem. E,enquanto os Beatles nos ensinavam como um sonho se acaba, aqui no Brasil a abertura política nos mostrava um novo horizonte com esperança de uma Pátria melhor. Era o fim da censura e do regime autoritário que tanto buscávamos.

No meu tempo, vivíamos "Até quando Deus quiser!", pois era ele quem determinava os nossos anos de vida não o "de menor", o assaltante, o motorista, o médico, o traficante, o bêbado, o drogado, o pai irresponsável ou a mãe baladeira. E, todos Nele acreditavam, mesmo sem pronunciar o "Seu nome em vão", como muito se ouve hoje em dia. E nem haviam essas milhares de denominações de igreja que por aí se proliferam.

No meu tempo havia sim, muito tempo para sonhar. E como todo o sonho pode ser realizado...


Lígia Saavedra


Imagens:
casaconhecimento.com.br
brenolostofc.blogspot.com

sábado, 26 de novembro de 2011

38º ENCONTRO DE ARTES DE BELÉM - ENARTE


O regente francês Philippe Forget e o pianista americano Jeff Gardner são as atrações internacionais da próxima edição do Encontro de Artes de Belém (Enarte), de 1º a 9 de dezembro. Artistas consagrados no Brasil, como o violinista Fredi Gerking, a pianista Cristina Capparelli e a violoncelista Milene Aliverti, professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, também fazem parte da extensa programação do evento, que conta com 43 apresentações culturais, entre shows, óperas, mostras de filmes, exposições, além de oficinas, master class e Seminário de Pesquisa em Música, tudo com entrada franca.

Derico

Realizado desde 1973 pela Universidade Federal do Pará (UFPA), o Enarte terá sua programação distribuída em sete espaços culturais da cidade. Dentre eles, Theatro da Paz, Sesc Boulevard, Espaço São José Liberto, Arte Doce Hall e Praça Batista Campos, onde vai ocorrer um dos shows mais esperados: o do saxofonista Derico, que atualmente compõe o sexteto do programa do Jô. Ele se apresentará ao lado do irmão, o pianista Sérgio Sciotti, formando o Duo Sciotti. No mesmo palco, se apresenta também o grupo paraense de pop rock Beatles Forever.


Saiba muito mais "AQUI"


SERVIÇO:
38º Encontro de Artes de Belém (Enarte)

Data: 1º a 9 de dezembro
Locais: Theatro da Paz, Sesc Boulevard, Espaço São José Liberto, Arte Doce Hall, Praça Batista Campos, Fundação Carlos Gomes e Escola de música da UFPA

Informações: (91) 3241 8369 | Email: emufpa@ufpa.br | Site: www.ica.ufpa.br
ENTRADA FRANCA


Fonte:
Guiart.com.br

GENÉSIO FERNANDES - ARTISTA PLÁSTICO MINEIRO










Sobre o artista:
Genésio Fernandes, José (Maria da Fé, MG, 1946). Artista plástico, pinta desde 1967. Ganhador de inúmeros prêmios e reconhecido internacionalmente.

Reside em Campo Grande desde 1991, onde lecionou no Curso de Letras e de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS. Atualmente, leciona ainda no Curso de Letras e na Pós-graduação da UFMS e organiza a revista Rabiscos de Primeira, destinada a publicações de trabalhos acadêmicos de alunos

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

"CASA DA VIÚVA COSTA" - ESCOLA DE TEATRO E DANÇA DA UFPA


Música, dança, humor e entretenimento. Todos esses elementos estão presentes no espetáculo “Casa da Viúva Costa”, da Escola de Teatro e Dança da UFPA, que será encenado de 1º a 4 de dezembro, às 20h, no Teatro Cláudio Barradas. Seguindo o formato teatro de revista, “Casa da Viúva Costa” é uma montagem feita pela turma do primeiro ano do Técnico de Formação em Ator, da Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA), que comemora 50 anos com a encenação da peça.

Dirigida por Paulo Santana e Marluce de Oliveira, a história tem como personagem principal Dona Possidônia, uma viúva alegre e vivaz, que abriga em sua pensão charmosa uma gama de personagens curiosos. Desde o engraçado e sorrateiro mordomo até um belo e ambíguo estudante de medicina. Durante a encenação, a plateia torna-se cúmplice de todas as loucuras que acontecem dentro da pensão da distinta e ambígua Viúva Costa.

Escrito pelos dramaturgos paraenses Antonio Tavernard e Fernando Castro, o texto foi mantido intacto. Nenhum tipo de adaptação foi feita pelos diretores do espetáculo, tornando a obra ainda mais real à época dos anos 30, principalmente pelo uso de expressões nada comuns com a atualidade, causando estranhamento e curiosidade. Os atores cantam músicas de grandes compositores paraenses, como Waldemar Henrique, Cyrillo Silva, Brito Monteiro e Centil Puget. A peça procura resgatar todo o charme e elegância que a “Paris Tropical” tinha a oferecer na época.

SERVIÇO:
Espetáculo "A Casa da Viúva Costa"

Data: 1º a 4 de dezembro | Horário: 20h
Local: Teatro Cláudio Barradas - Jerônimo Pimentel, n° 546, próximo a Dom Romualdo de Seixas
Ingressos: R$10, com meia entrada para estudantes
Informações:(91) 81168597


Fonte:
Guiart.com.br

"SOLO DE MARAJÓ" - CLAUDIO BARROS


Foi um sucesso a apresentação do espetáculo "Solo de Marajó" no SESC Boulevard. O romance “Marajó”, segundo da saga amazônica de dez romances escritos pelo escritor paraense Dalcídio Jurandir, serviu de inspiração para o espetáculo que é narrado pelo ator Cláudio Barros, por meio da utilização mínima de recursos cênicos.

Recheada de lirismo, a primeira conta a história de duas crianças que brincam de esconder a lua numa caixinha de fósforos. Já a segunda narra uma paixão adolescente entre dois jovens caboclos, que se encontram às margens de um igarapé.

Na terceira, é revelada o drama de um casal que decide entregar a filha a um barqueiro, para que ele a leve a morar na capital, um fato corriqueiro no Pará. Na penúltima, Cláudio Barros conta a saga de uma velha negra chamada Felismina, que perdeu um filho na guerra. A quinta e última narrativa mostra as temperaturas de uma paixão violenta.

Apesar de ter forte cunho social e político, “Solo de Marajó” é um espetáculo simples, no qual cenografia, figurino e iluminação são neutros e buscam ressaltar a presença do ator, o elemento mais importante desta encenação

Fonte:
Guiart.com.br

BROOKE SHADEN - FOTÓGRAFA NORTE AMERICANA











Brooke Shaden é uma fotógrafa de arte que vive e trabalha em Los Angeles. Sua paixão está em criar novos mundos através da fotografia. Sua visão vai além do que sua câmera possa capturar. Criando imagens que se assemelham a pinturas e que fala de uma era que não é nossa. Cada imagem uma história.


Fonte:
Humanismo y Conectividad

sábado, 19 de novembro de 2011

"VIVA, ZUMBI DOS PALMARES!"

Imagem:colegioativo4003.blogspot.com

Zumbi é considerado um dos grandes líderes de nossa história. Símbolo da resistência e luta contra a escravidão, lutou pela liberdade de culto, religião e pratica da cultura africana no Brasil Colonial. O dia de sua morte, 20 de novembro, é lembrado e comemorado em todo o território nacional como o Dia da Consciência Negra.


Quem foi Zumbi e realizações

Zumbi dos Palmares nasceu no estado de Alagoas no ano de 1655. Foi um dos principais representantes da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial. Foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas. O Quilombo dos Palmares estava localizado na região da Serra da Barriga, que, atualmente, faz parte do município de União dos Palmares (Alagoas). Na época em que Zumbi era líder, o Quilombo dos Palmares alcançou uma população de aproximadamente trinta mil habitantes. Nos quilombos, os negros viviam livres, de acordo com sua cultura, produzindo tudo o que precisavam para viver.
Embora tenha nascido livre, foi capturado quando tinha por volta de sete anos de idade. Entregue a um padre católico, recebeu o batismo e ganhou o nome de Francisco. Aprendeu a língua portuguesa e a religião católica, chegando a ajudar o padre na celebração da missa. Porém, aos 15 anos de idade, voltou para viver no quilombo.

No ano de 1675, o quilombo é atacado por soldados portugueses. Zumbi ajuda na defesa e destaca-se como um grande guerreiro. Após uma batalha sangrenta, os soldados portugueses são obrigados a retirar-se para a cidade de Recife. Três anos após, o governador da província de Pernambuco aproxima-se do líder Ganga Zumba para tentar um acordo, Zumbi coloca-se contra o acordo, pois não admitia a liberdade dos quilombolas, enquanto os negros das fazendas continuariam aprisionados.

Em 1680, com 25 anos de idade, Zumbi torna-se líder do quilombo dos Palmares, comandando a resistência contra as topas do governo. Durante seu “governo” a comunidade cresce e se fortalece, obtendo várias vitórias contra os soldados portugueses. O líder Zumbi mostra grande habilidade no planejamento e organização do quilombo, além de coragem e conhecimentos militares.

O bandeirante Domingos Jorge Velho organiza, no ano de 1694, um grande ataque ao Quilombo dos Palmares. Após uma intensa batalha, Macaco, a sede do quilombo, é totalmente destruída. Ferido, Zumbi consegue fugir, porém é traído por um antigo companheiro e entregue as tropas do bandeirante. Aos 40 anos de idade, foi degolado em 20 de novembro de 1695.


Fonte:
Sua Pesquisa.com

"DOM QUIXOTE" - BALLARE ESCOLA DE DANÇA


Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança estréiam neste sábado (19) e domingo (20) no palco do Teatro Margarida Schivasappa, no Centur, na nova montagem da Ballare Escola de Dança. No elenco, bailarinos e bailarinas da Escola e da Cia Ballare, além de convidados especiais, entre eles, o bailarino paulista Guilherme Oliveira e o ator paraense Paulo Fonseca, o Paulão.

Saiba mais "AQUI"

SERVIÇO:
“Dom Quixote”, espetáculo da Ballare Escola de Dança, com participação de bailarinos e atores convidados

Data/Horário: 19 de novembro (sábado), às 20h,
20 de novembro (domingo), às 19h30.
Local: Teatro Margarida Schivasappa – Centur.
Endereço: Av Gentil Bittencourt, 650 – Entre Rui Barbosa e Quintino


Informações: Ballare - Tv. Padre Eutíquio, 1454 l (91) 3241-3182
Assessoria de Imprensa: Luciane Fiuza - (91) 8300-3961 |
Email: ballare@oi.com.br

Ingressos: R$30 reais, que podem ser adquiridos com antecedência na secretaria da escola; a venda de meia-entrada ocorrerá apenas nos dias dos espetáculos, na bilheteria do teatro.


Fonte:
Guiart.com.br

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

MÓVEIS DE PAPELÃO - IMPRESSIONANTE NOVIDADE











Dekahon, uma loja no The Collective, em Malugay Street, Makati na Malásia móveis e equipamentos à venda feitos com papelão.

Uma ótima idéia para quem dela precisar.

FONTE:
United Blog of Benetton Filipinas

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"EM ALGUMA PARTE ALGUMA" - FERREIRA GULLAR




Anoitecer em Outubro

A noite cai, chove manso lá fora
meu gato dorme
enrodilhado
na cadeira

Num dia qualquer
não existirá mais
nenhum de nós dois

para ouvir

nesta sala

a chuva que eventualmente caia

sobre as calçadas da rua Duvivier (Ferreira Gullar)


Onze anos depois do lançamento de seu último livro de poesias, Ferreira Gullar lançou em setembro o livro "Em Alguma Parte Alguma" onde nos apresenta uma reflexão poética sobre a existência.

Ferreira Goular, comenta o livro "Em Alguma Parte Alguma"


Fontes:
You Tube

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

"INTRÍNSECA DESMEMÓRIA" - LÍGIA SAAVEDRA


INTRÍNSECA
DESMEMÓRIA

De minhas tristezas nada sei.
Só que se achegam mudas e invisíveis
e à sua presença me transformo.
Irrito-me com a alegria
Afasto-me dos sonhos
e festejo a solidão
Dói-me o peito
Cansa-me o sorriso
que ao pranto seca.

De minhas tristezas nada sei.
Vão-se sem dizer nada
Partem sem alardear
Nem lembro de sua chegada
Não as vejo. Nada, nada...


LÍGIA SAAVEDRA

Imagem:
conhecendo-a-arte.blogspot.com

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

" A TOSCA" DE PUCCINI ABRE O FESTIVAL DE ÓPERA NO THEATRO DA PAZ

Imagem: Rio Preto da Eva

THEATRO DA PAZ REABRE COM PUCCINI

Foi com "A Tosca" e muito glamour a abertura do 5º Festival de Ópera do Theatro da Paz. Com o teatro lotado os paraenses assistiram a um espetáculo de primeira qualidade no seu espaço mais notável e que esteve fechado por algum tempo para reformas. Mas valeu a pena esperar.

O Theatro da Paz foi fundado em 15 de fevereiro de 1878, durante o período áureo do Ciclo da Borracha, quando ocorreu um grande crescimento econômico na região. Belém viveu um significativo processo de transformação sócio-econômico nesse período, chegando a ser chamada de “A Capital da Borracha”. Mas, apesar desse progresso a cidade ainda não possuía um teatro de grande porte, capaz de receber espetáculos do gênero lírico. Buscando satisfazer o anseio da sociedade da época, o governo da província contrata o engenheiro militar José Tiburcio de Magalhães que dá inicio ao projeto arquitetônico inspirado no Teatro Scalla de Milão (Itália).

Em julho de 1869 começa a sua construção, sendo destacada a arquitetura Neoclássica. Inaugurado como Nossa Senhora da Paz, alusão ao final da guerra do Paraguai, teve seu nome reduzido para Teatro da Paz dois dias depois da inauguração. Decorado de forma simples foi aos poucos sendo embelezado com novos elementos de decoração e pintura destacando os italianos Domenico D’Angelis e Capranezi. Em 1905 passa por uma significativa reforma chegando a sua forma definitiva.

Imagem: Diário on line

Aqui toda a programação do Festival de Ópera do Teatro da Paz

TOSCA, de Giacomo Puccini
Theatro da Paz >>> 08,10 e 12 de novembro >>> Às 20h

PALESTRA ILUSTRADA: PUCCINI VISTO ATRAVÉS DE SEUS TENORES
Ministrada pelo especialista em ópera Sérgio Casoy
Theatro da Paz >>> 09 de novembro >>> Às 19h

A DANÇA NA ÓPERA
Theatro da Paz >>> 16 e 17 de novembro>>> Às 20h
Balés de Óperas Famosas, com a Cia de Dança Ana Unger e Orquestra Jovem Vale Música

MASTER CLASS DE TÉCNICA VOCAL
Ministrada pela soprano Laura de Souza
Theatro da Paz >>> 21 de novembro>>> Às 16h

RECITAL LÍRICO
Teatro Maria Sylvia Nunes >>> 22 de novembro >>> Às 20h
Cantores Paraenses
Orquestra Jovem Vale Música

OFICINA DE FIGURINO
Ministrada pela figurinista Elena Toscano
Theatro da Paz >>> 23 de novembro >>> Às 16h

RECITAL OPERÍSTICO
Igreja de Santo Alexandre >>> 23 de novembro >>> Às 20h
Rodolfo Giugliani, barítono
Laura de Souza, soprano
Paulo José Campos de Melo, piano

ÁRIAS E CANÇÕES
Igreja de Santo Alexandre >>> 24 de novembro>>> Ás 18h
Luciana Tavares, soprano
David Martins, piano

OFICINA DE ILUMINAÇÃO CÊNICA
Ministrada pelo iluminador Lucas Gonçalves
Theatro da Paz >>> 25 de novembro >>> Às 16h

CARMINA BURANA, de Carl Orff
Theatro da Paz >>> 26, 27 e 29 de novembro >>> Às 20h

CONCERTO DE ENCERRAMENTO AO AR LIVRE
Theatro da Paz >>> 03 de dezembro >>> Às 20h

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

"TUDO AZUL" O MAIS NOVO CD DE MARCIO MONTORIL

"TUDO AZUL"

Acontecerá nesta quarta feira, 09 de novembro, no Teatro Margarida Schivazappa, o show de lançamento do Cd "TUDO AZUL" de Marcio Montoril e ele nos promete que vai no balanço da salsa e do merengue, da cumbia e do mambo, do xote e muito mais ao lado de músicos de renome como Daniel Benites, Bruno Benites, Wily Benites.

Imagem:producoesvip.com.br

Sobre o artista:
Marcio Montoril é Professor, Compositor, Cantor, Militante Social, pesquisador e defensor árduo da cultura amazônica.

Serviço:
Show de lançamento do Cd "TUDO AZUL" de Marcio MOntoril

Local: Teatro Margarida Schivazappa do Centur
Data: 09.11
Hora 20:00h

Ingressos a R$ 10,00 e meia a R$ 5,00

Um ótimo programa.

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com