Ajuruteua

Ajuruteua

sábado, 24 de dezembro de 2011

PARA SEGUIR MINHA JORNADA - CHICO BUARQUE


Acabo de receber de presente esta maravilha de livro e, com certeza, esse presente iluminará ainda mais o nosso Natal.

Muito Obrigada, Dr. Mário Rogério!


Sobre o livro:

Para Seguir Minha Jornada - Chico Buarque, o livro sobre Chico Buarque que a editora Nova Fronteira pôs no mercado neste fim de 2011, não é exatamente uma biografia do cantor e compositor carioca. Mas, de todo modo, reconstitui a maioria dos passos fundamentais da vida e obra do artista através de fotos (muitas inéditas, colhidas pela autora Regina Zappa no acervo pessoal de Chico), de reproduções de reportagens publicadas desde a década de 60 até os anos 2000 e de textos escritos com citações de documentos, críticas e depoimentos sobre o autor de Roda Viva.

A estrutura de Para Seguir Minha Jornada é parecida com a de um almanaque, formato tão ao gosto do mercado editorial brasileiro nos últimos anos. Contudo, Zappa - jornalista e escritora que ora publica seu terceiro livro sobre Chico Buarque - escapa da superficialidade do gênero por conta de seu texto consistente (bem fundamentado e rico em informações) e da própria história do artista, farta de acontecimentos que se confundem com a história recente do Brasil.

Muitos já são conhecidos por quem acompanha a jornada do compositor desde os tempos dos festivais até o recente lançamento do álbum Chico (2011), também abordado nessa espécie de biografia ilustrada. Outras histórias e curiosidades tinham caído logo no esquecimento. É o caso, por exemplo, da origem da música Bastidores (1980), composta por Chico para sua irmã, Cristina Buarque, mas propagada pelo vozeirão grave de Cauby Peixoto, que recebeu o tema após a gravação de Cristina. Como o disco de Cauby saiu antes, o cantor ficou com a primazia de ter lançado e inspirado Bastidores. Mas a história verdadeira da música é a contada por Chico à extinta revista Manchete em dezembro de 1980, em depoimento reproduzido por Zappa.

São muitas as histórias, mas, como Para Seguir Minha Jornada foi estruturado sem o rigor e a preocupação documental de uma biografia, discos recentes do artista - como Paratodos (1993), As Cidades (1998) e Carioca (2006) - são ignorados na parte final do livro em favor da controvertida obra literária do escritor. Como o almanaque foi revisado pelo próprio Chico, a jornada acaba sendo contada - de certa forma - sob ótica oficial. O que não altera o valor de Para Seguir Minha Jornada diante da fartura do sedutor material fotográfico, das reportagens e do (alto) nível dos textos escritos para o livro


Retirado do site http://blognotasmusicais.blogspot.com/


Feliz! Feliz!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

FERCY NERY DIVULGA A AMAZÔNIA EM PORTUGAL

Fercy Nery
Especial convite enviado pelo Músico e Produtor Cultural Paraense, Fercy Nery.

Venha conhecer um pouco mais dessa fascinante região do planeta e aprender a amá-la, à sua cultura, aos seus "povos da floresta" e costumes, nas fotografias e intervenções da antropóloga portuguesa, Rita Pestana, numa apresentação inédita.

Assista também a um concerto genuinamente amazónico/brasileiro, com o músico/cantor, Fercy Nery (voz e violão), revelando ritmos tradicionais daquela região numa fusão musical que envolve desde o carimbó (ritmo tradicional do estado do Pará) até aos ritmos já consagrados como o samba, a bossa nova e a música de intervenção de Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano, entre outros grandes nomes da música popular brasileira. No repertório, músicas também de sua própria autoria.

Exposição e venda de livros do poeta premiado da Amazónia Carlos Correia Santos.

Uma noite de poesia, música e informação. Venha conferir!

Em pleno Chiado, no dia 23 de dezembro/2011 sexta-feira, às 19:00hs, na rua Garrett, 60 (Galerias Garret, 60, 1º piso, próximo à Rua Ivens).

Esta é mais uma iniciativa do Projeto: Work In Progress Garrett.

Apoio: Amazónias e Seus Povos (https://www.facebook.com/amazoniaseseuspovos)

Para mais informações: 960443965 (Fercy Nery)


Agradeço e desejo sucesso ao evento, caro amigo.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

"FELIZ NATAL!"


‎"Para você que faz parte da minha vida aqui, ali e acolá de todo o meu coração e com muito carinho"


Que este Natal e Ano Novo sejam mais do que confraternizações pois todos os nossos momentos deverão ser iluminados.

Já que Natal significa "nascer", nasçamos então neste dia 25 para que os próximos doze meses sejam em busca da paz, da conquista, da compreensão e da prosperidade.

LÍGIA SAAVEDRA

Feliz Natal e Ano Novo!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

"ANTÔNIMO" E "O NOME DA COISA" - TEATRO CUÍRA


Show com artistas paraenses envolve também as raízes amazônicas

O projeto ‘Antônimo e O Nome da Coisa’, organizado pelo músico e compositor paraense Antonio Novaes, será apresentado pela primeira vez em Belém, no dia 16 de dezembro, às 20h, no Teatro Cuíra.

O show reúne resultado de dois projetos elaborados durante a carreira de Novaes, os quais dão nome ao espetáculo. ‘Antônimo’, montado em São Paulo, utiliza o teclado em estilo “retrô”. Já ‘O Nome da Coisa’, feito em Milão, na Itália, com a também paraense cantora Ana Clara, reúne mais dois instrumentistas italianos.

Em comum, os projetos apresentam o jazz na sonoridade e a mistura de referências internacionais às raízes amazônicas. Também são marcados pela ideia de promover o diálogo entre diferentes músicos, variando a formação da banda, e o destaque de vozes femininas. Em Belém, as vozes serão de Ana Clara, Gláfira Lôbo, Aíla e Juliana Sinimbú


Saiba muito mais "AQUI"


SERVIÇO:
Show “Antônimo e O Nome da Coisa”, com Antonio Novaes, Ana Clara, Gláfira Lobo, Aíla, Juliana Sinimbú, Patrick Florencio (baixo) e Artur Kunz (bateria) e participações de Renato Torres e Tom Salazar Cano.

Data: 16 de dezembro
Horário: 20h
Local: Teatro Cuíra (Rua Riachuelo. Esquina com Travessa Primeiro de Março. Campina)
Ingressos: R$15,00


Fonte:
Guiart.com.br

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

"LA FÁBULA" - COMPANHIA DE TEATRO MADALENAS


Companhia de Teatro Madalenas celebra dez anos com 'La Fábula'

Um mergulho no universo mágico dos contos da literatura universal. É o que propõe o espetáculo “La Fábula”, da Companhia de Teatro Madalenas - que completa, neste ano, uma década de dedicação às artes cênicas. Dirigido pela atriz, dramaturga e contadora de histórias Ester Sá, colaboradora contumaz da companhia, “La Fábula” será apresentada ao público, durante turnê, de 1º a 22 de dezembro, em várias praças públicas da Região Metropolitana de Belém.

Saiba mais "AQUI"


FICHA TÉCNICA:
Direção e Dramaturgia: Ester Sá
Elenco: Dina Mamede (Rainha Altiva), Gilberto Ganesh (Homem de Lata), Leonel Ferreira (Homem do Saco) e Rodrigo Braga (Dom Quixote).
Direção Musical: Armando Mendonça
Concepção Figurinos e Adereços: Aníbal Pacha
Confecção: Mariléa Aguiar
Produção Executiva: Flavio Furtado e Tainah Fagundes
Contrarregra: Pedro Ferreira
Coordenação Geral: Leonel Ferreira



APRESENTAÇÕES
Data: 1º a 22 de dezembro
Horário: sempre às 19h


ANANINDEUA
Quinta (1º): Complexo Esportivo da Cidade Nova 8
Sexta (2): Praça do Parque Ani (Júlia Sefer/Águas Lindas)
Sábado (3): Praça Tancredo Neves – Cidade Nova 4


BENEVIDES
Domingo (4): Praça do Leão;
Terça (6): Praça Nossa Sra. Das Graças – Benfica


MARITUBA
Sexta (9) e sábado (10): Praça do Menino Deus


SANTA BÁRBARA
Terça (13) e quarta (14): Complexo Agro Industrial de Santa Bárbara


SANTA IZABEL
Quinta (15) e sexta (16): Praça da Matriz


BELÉM
Domingo (18): Praça Batista Campos;
Segunda (19): Praça D. Alberto Ramos (Marambaia);
Terça (20): Praça Dalcidio Jurandir (Cremação);
Quarta (21): Praça Olavo Bilac (Terra Firme);
Quinta (22): Anfiteatro da Praça da República.



SERVIÇO:
Espetáculo “La Fábula”, da Cia de Teatro Madalenas.
Período da turnê: 1º a 22/12
Local: Praças públicas de Ananindeua, Benevides, Marituba, Santa Barbara, Santa Izabel e Belém
Informações: 3088-3103.
Entrada Franca


Fonte:
Guiart.com.br

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

OSTRAS AO VENTO - VASQS


Máximas rudimentares de Shao Xao Ciao, um filósofo sino-bolonhês


- Aqui se faz aqui se apaga. É assim nos morros lá do Rio.

- O celular é o orgasmo da comunicação. O riso é o orgasmo da piada. O lucro é o orgasmo do investimento – o Bill Gates tem orgasmos múltiplos, o que será que ele toma?

- Bom dia! E aí, cansado da semana? Muito trabalho, pressão, chuva, congestionamento? Deixe estar, o fim de semana vem aí: Xuxa, Gugu, Pânico, Huck, Faustão, Fantástico, Zorra Total, Silvio Santos,... e aquele padreco sempre otimista falando do Apocalipse. Aproveite.

- O Facebook é a casinha da Barbie. Infantil assim , mas tá cheio de gente ali querendo brincar de médico.

- Já são muitas as contribuições dadas pelas redes sociais. Mas a mais importante delas foi o aumento exponencial do número de cornos.

Quer dar muita risada? Leia o Blog Ostras ao Vento de nosso Colaborador de Ouro, Vasqs e gargalhe enquanto puder.


Fonte:
Ostras ao Vento

GRUPO EXPERIMENTAL DE ÓPERA - "BASTIÃO E BASTIANA"


Livre adaptação do compositor austríaco Mozart, a ópera “Bastião e Bastiana”, cantada em português pelo Grupo Experimental de Ópera “Cantores em Cena” será apresentada no próximo dia 21 de dezembro, às 20h, no Sesc Boulevard, como parte do projeto Canções de Natal.

Leia mais "AQUI"

FICHA TÉCNICA
Elenco: Madalena Jorge Aliverti, Thaina Souza, Maurício de Souza Jr, Severo Almeida, Diogo Monteiro
Piano: Leandra Vital
Direção geral: Madalena Jorge Aliverti
Produção: Verena Juliana e Edir Paes


SERVIÇO:
Ópera “Bastião e Bastiana”

Sesc Boulevard (em frente à Estação das Docas)
Data: 21 de dezembro (quarta-feira)
Horário: 20h
Informações: (91) 8118 2330 / 8848-9871 / 8102-6967


Fonte:
Guiart.com.br

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

2 DE DEZEMBRO - "DIA NACIONAL DO SAMBA"


Comemoramos hoje em todo o país o "Dia Nacional do Samba". As redes socias explodiram em homenagens que lembravam a todo momento de Ary Barroso a Jorge Aragão.

Histórico da homenagem:
O Dia Nacional do Samba surgiu por iniciativa de um vereador baiano, Luis Monteiro da Costa, para homenagear Ary Barroso. Ary já tinha composto seu sucesso "Na Baixa do Sapateiro", mas nunca havia posto os pés na Bahia. Esta foi a data que ele visitou Salvador pela primeira vez. A festa foi se espalhando pelo Brasil e virou uma comemoração nacional.

A Voz Do Morro
(Zé Ketti)

Eu sou o samba
A voz do morro
Sou eu mesmo
Sim senhor

Quero mostrar ao mundo
Que tenho valor
Eu sou o rei do terreiro

Eu sou o samba
Sou natural daqui do Rio de Janeiro
Sou eu quem levo a alegria
Para milhões
De corações brasileiros

Mais um samba
Queremos samba
Quem está pedindo
É a voz do povo do País

Viva o samba
Vamos cantando
Essa melodia
Pra um Brasil feliz




E Viva o Samba!


Imagem:
aprendendo-facil.blogspot.com

terça-feira, 29 de novembro de 2011

NO MEU TEMPO... - LÍGIA SAAVEDRA


Conheço pessoas que ficam assustadas e até aborrecidas se voce as coloca no "seu tempo". Coisa de quem é muito vaidoso, tímido ou inseguro com o seu corpo, com a sua vida e por aí...

Aos 57 anos de idade, com muito ainda há para aprender, mas com uma vontade danada de contar o que já vivi, aprendi que "Nada Será Como Antes" como o Milton Nascimento cantou e tenho muita honra em ter vivido o tempo em que o respeito ao próximo, o brio e a honra eram muito importantes para qualquer cidadão de Bem. É certo que, no meu tempo, havia muito mais preconceito e muito menos conhecimento e tecnologia, mas havia amor. Sim, havia muito mais amor.

Vivi a década de setenta com todo o seu lirismo, os seus contrastes e a sua musicalidade. Vivíamos centrados em nossos objetivos políticos ou sociais e nossos problemas eram solucionáveis porque lutávamos para que assim fossem. E,enquanto os Beatles nos ensinavam como um sonho se acaba, aqui no Brasil a abertura política nos mostrava um novo horizonte com esperança de uma Pátria melhor. Era o fim da censura e do regime autoritário que tanto buscávamos.

No meu tempo, vivíamos "Até quando Deus quiser!", pois era ele quem determinava os nossos anos de vida não o "de menor", o assaltante, o motorista, o médico, o traficante, o bêbado, o drogado, o pai irresponsável ou a mãe baladeira. E, todos Nele acreditavam, mesmo sem pronunciar o "Seu nome em vão", como muito se ouve hoje em dia. E nem haviam essas milhares de denominações de igreja que por aí se proliferam.

No meu tempo havia sim, muito tempo para sonhar. E como todo o sonho pode ser realizado...


Lígia Saavedra


Imagens:
casaconhecimento.com.br
brenolostofc.blogspot.com

sábado, 26 de novembro de 2011

38º ENCONTRO DE ARTES DE BELÉM - ENARTE


O regente francês Philippe Forget e o pianista americano Jeff Gardner são as atrações internacionais da próxima edição do Encontro de Artes de Belém (Enarte), de 1º a 9 de dezembro. Artistas consagrados no Brasil, como o violinista Fredi Gerking, a pianista Cristina Capparelli e a violoncelista Milene Aliverti, professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, também fazem parte da extensa programação do evento, que conta com 43 apresentações culturais, entre shows, óperas, mostras de filmes, exposições, além de oficinas, master class e Seminário de Pesquisa em Música, tudo com entrada franca.

Derico

Realizado desde 1973 pela Universidade Federal do Pará (UFPA), o Enarte terá sua programação distribuída em sete espaços culturais da cidade. Dentre eles, Theatro da Paz, Sesc Boulevard, Espaço São José Liberto, Arte Doce Hall e Praça Batista Campos, onde vai ocorrer um dos shows mais esperados: o do saxofonista Derico, que atualmente compõe o sexteto do programa do Jô. Ele se apresentará ao lado do irmão, o pianista Sérgio Sciotti, formando o Duo Sciotti. No mesmo palco, se apresenta também o grupo paraense de pop rock Beatles Forever.


Saiba muito mais "AQUI"


SERVIÇO:
38º Encontro de Artes de Belém (Enarte)

Data: 1º a 9 de dezembro
Locais: Theatro da Paz, Sesc Boulevard, Espaço São José Liberto, Arte Doce Hall, Praça Batista Campos, Fundação Carlos Gomes e Escola de música da UFPA

Informações: (91) 3241 8369 | Email: emufpa@ufpa.br | Site: www.ica.ufpa.br
ENTRADA FRANCA


Fonte:
Guiart.com.br

GENÉSIO FERNANDES - ARTISTA PLÁSTICO MINEIRO










Sobre o artista:
Genésio Fernandes, José (Maria da Fé, MG, 1946). Artista plástico, pinta desde 1967. Ganhador de inúmeros prêmios e reconhecido internacionalmente.

Reside em Campo Grande desde 1991, onde lecionou no Curso de Letras e de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS. Atualmente, leciona ainda no Curso de Letras e na Pós-graduação da UFMS e organiza a revista Rabiscos de Primeira, destinada a publicações de trabalhos acadêmicos de alunos

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

"CASA DA VIÚVA COSTA" - ESCOLA DE TEATRO E DANÇA DA UFPA


Música, dança, humor e entretenimento. Todos esses elementos estão presentes no espetáculo “Casa da Viúva Costa”, da Escola de Teatro e Dança da UFPA, que será encenado de 1º a 4 de dezembro, às 20h, no Teatro Cláudio Barradas. Seguindo o formato teatro de revista, “Casa da Viúva Costa” é uma montagem feita pela turma do primeiro ano do Técnico de Formação em Ator, da Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA), que comemora 50 anos com a encenação da peça.

Dirigida por Paulo Santana e Marluce de Oliveira, a história tem como personagem principal Dona Possidônia, uma viúva alegre e vivaz, que abriga em sua pensão charmosa uma gama de personagens curiosos. Desde o engraçado e sorrateiro mordomo até um belo e ambíguo estudante de medicina. Durante a encenação, a plateia torna-se cúmplice de todas as loucuras que acontecem dentro da pensão da distinta e ambígua Viúva Costa.

Escrito pelos dramaturgos paraenses Antonio Tavernard e Fernando Castro, o texto foi mantido intacto. Nenhum tipo de adaptação foi feita pelos diretores do espetáculo, tornando a obra ainda mais real à época dos anos 30, principalmente pelo uso de expressões nada comuns com a atualidade, causando estranhamento e curiosidade. Os atores cantam músicas de grandes compositores paraenses, como Waldemar Henrique, Cyrillo Silva, Brito Monteiro e Centil Puget. A peça procura resgatar todo o charme e elegância que a “Paris Tropical” tinha a oferecer na época.

SERVIÇO:
Espetáculo "A Casa da Viúva Costa"

Data: 1º a 4 de dezembro | Horário: 20h
Local: Teatro Cláudio Barradas - Jerônimo Pimentel, n° 546, próximo a Dom Romualdo de Seixas
Ingressos: R$10, com meia entrada para estudantes
Informações:(91) 81168597


Fonte:
Guiart.com.br

"SOLO DE MARAJÓ" - CLAUDIO BARROS


Foi um sucesso a apresentação do espetáculo "Solo de Marajó" no SESC Boulevard. O romance “Marajó”, segundo da saga amazônica de dez romances escritos pelo escritor paraense Dalcídio Jurandir, serviu de inspiração para o espetáculo que é narrado pelo ator Cláudio Barros, por meio da utilização mínima de recursos cênicos.

Recheada de lirismo, a primeira conta a história de duas crianças que brincam de esconder a lua numa caixinha de fósforos. Já a segunda narra uma paixão adolescente entre dois jovens caboclos, que se encontram às margens de um igarapé.

Na terceira, é revelada o drama de um casal que decide entregar a filha a um barqueiro, para que ele a leve a morar na capital, um fato corriqueiro no Pará. Na penúltima, Cláudio Barros conta a saga de uma velha negra chamada Felismina, que perdeu um filho na guerra. A quinta e última narrativa mostra as temperaturas de uma paixão violenta.

Apesar de ter forte cunho social e político, “Solo de Marajó” é um espetáculo simples, no qual cenografia, figurino e iluminação são neutros e buscam ressaltar a presença do ator, o elemento mais importante desta encenação

Fonte:
Guiart.com.br

BROOKE SHADEN - FOTÓGRAFA NORTE AMERICANA











Brooke Shaden é uma fotógrafa de arte que vive e trabalha em Los Angeles. Sua paixão está em criar novos mundos através da fotografia. Sua visão vai além do que sua câmera possa capturar. Criando imagens que se assemelham a pinturas e que fala de uma era que não é nossa. Cada imagem uma história.


Fonte:
Humanismo y Conectividad

sábado, 19 de novembro de 2011

"VIVA, ZUMBI DOS PALMARES!"

Imagem:colegioativo4003.blogspot.com

Zumbi é considerado um dos grandes líderes de nossa história. Símbolo da resistência e luta contra a escravidão, lutou pela liberdade de culto, religião e pratica da cultura africana no Brasil Colonial. O dia de sua morte, 20 de novembro, é lembrado e comemorado em todo o território nacional como o Dia da Consciência Negra.


Quem foi Zumbi e realizações

Zumbi dos Palmares nasceu no estado de Alagoas no ano de 1655. Foi um dos principais representantes da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial. Foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas. O Quilombo dos Palmares estava localizado na região da Serra da Barriga, que, atualmente, faz parte do município de União dos Palmares (Alagoas). Na época em que Zumbi era líder, o Quilombo dos Palmares alcançou uma população de aproximadamente trinta mil habitantes. Nos quilombos, os negros viviam livres, de acordo com sua cultura, produzindo tudo o que precisavam para viver.
Embora tenha nascido livre, foi capturado quando tinha por volta de sete anos de idade. Entregue a um padre católico, recebeu o batismo e ganhou o nome de Francisco. Aprendeu a língua portuguesa e a religião católica, chegando a ajudar o padre na celebração da missa. Porém, aos 15 anos de idade, voltou para viver no quilombo.

No ano de 1675, o quilombo é atacado por soldados portugueses. Zumbi ajuda na defesa e destaca-se como um grande guerreiro. Após uma batalha sangrenta, os soldados portugueses são obrigados a retirar-se para a cidade de Recife. Três anos após, o governador da província de Pernambuco aproxima-se do líder Ganga Zumba para tentar um acordo, Zumbi coloca-se contra o acordo, pois não admitia a liberdade dos quilombolas, enquanto os negros das fazendas continuariam aprisionados.

Em 1680, com 25 anos de idade, Zumbi torna-se líder do quilombo dos Palmares, comandando a resistência contra as topas do governo. Durante seu “governo” a comunidade cresce e se fortalece, obtendo várias vitórias contra os soldados portugueses. O líder Zumbi mostra grande habilidade no planejamento e organização do quilombo, além de coragem e conhecimentos militares.

O bandeirante Domingos Jorge Velho organiza, no ano de 1694, um grande ataque ao Quilombo dos Palmares. Após uma intensa batalha, Macaco, a sede do quilombo, é totalmente destruída. Ferido, Zumbi consegue fugir, porém é traído por um antigo companheiro e entregue as tropas do bandeirante. Aos 40 anos de idade, foi degolado em 20 de novembro de 1695.


Fonte:
Sua Pesquisa.com

"DOM QUIXOTE" - BALLARE ESCOLA DE DANÇA


Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança estréiam neste sábado (19) e domingo (20) no palco do Teatro Margarida Schivasappa, no Centur, na nova montagem da Ballare Escola de Dança. No elenco, bailarinos e bailarinas da Escola e da Cia Ballare, além de convidados especiais, entre eles, o bailarino paulista Guilherme Oliveira e o ator paraense Paulo Fonseca, o Paulão.

Saiba mais "AQUI"

SERVIÇO:
“Dom Quixote”, espetáculo da Ballare Escola de Dança, com participação de bailarinos e atores convidados

Data/Horário: 19 de novembro (sábado), às 20h,
20 de novembro (domingo), às 19h30.
Local: Teatro Margarida Schivasappa – Centur.
Endereço: Av Gentil Bittencourt, 650 – Entre Rui Barbosa e Quintino


Informações: Ballare - Tv. Padre Eutíquio, 1454 l (91) 3241-3182
Assessoria de Imprensa: Luciane Fiuza - (91) 8300-3961 |
Email: ballare@oi.com.br

Ingressos: R$30 reais, que podem ser adquiridos com antecedência na secretaria da escola; a venda de meia-entrada ocorrerá apenas nos dias dos espetáculos, na bilheteria do teatro.


Fonte:
Guiart.com.br

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

MÓVEIS DE PAPELÃO - IMPRESSIONANTE NOVIDADE











Dekahon, uma loja no The Collective, em Malugay Street, Makati na Malásia móveis e equipamentos à venda feitos com papelão.

Uma ótima idéia para quem dela precisar.

FONTE:
United Blog of Benetton Filipinas

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"EM ALGUMA PARTE ALGUMA" - FERREIRA GULLAR




Anoitecer em Outubro

A noite cai, chove manso lá fora
meu gato dorme
enrodilhado
na cadeira

Num dia qualquer
não existirá mais
nenhum de nós dois

para ouvir

nesta sala

a chuva que eventualmente caia

sobre as calçadas da rua Duvivier (Ferreira Gullar)


Onze anos depois do lançamento de seu último livro de poesias, Ferreira Gullar lançou em setembro o livro "Em Alguma Parte Alguma" onde nos apresenta uma reflexão poética sobre a existência.

Ferreira Goular, comenta o livro "Em Alguma Parte Alguma"


Fontes:
You Tube

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com