Ajuruteua

Ajuruteua

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

KIERON WILLIANSON - O PEQUENO MONET








Sobre o autor:



Kieron era uma criança com uma paixão por lama e água. Ele amava andar de bicicleta e jogar pedras no mar em cada poça disponível. A caminhada para a escola era mais como um curso de ataque para Kieron e ele muitas vezes aparecia fora dos arbustos com um pau ou bug na mão.

Hoje aos sete anos, Kieron é um dos mais jovens pintores do mundo. Seu trabalho mais recente foi visto em mais de 35 países diferentes e alcançou os mais altos lances. Ele tem mais de 1800 fãs em seu mailing list, caracterizado por todo o YouTube em sites de mídia do mundo.

Saiba mais de Kieron. aqui:



Fonte:
www.kieronwilliamson.com

MEXA-SE!





Fonte:


Powered by BannerFans.com

NILSON CHAVES - CÍRIO DA NOSSA MÚSICA




O cantor e compositor paraense, Nilson Chaves, faz hoje o pré-lançamento do projeto “Círio da Nossa Música”.
Nilson sobe ao palco do Bar Municipal acompanhado do Trio Manari, logo mais, às 21h.
A abertura da programação será com show do compositor Mário Mouzinho, um dos vencedores do Festival de Música da RBA deste ano com a canção “De Passagem”, magistralmente interpretada por Andréia Pinheiro que arrebatou o segundo lugar no concurso.

Assista e ouça Nilson, aqui:




Serviço:

Show de Nilson Chaves e Trio Manari.
Hoje, no Bar Municipal (Municipalidade, 1.624).
Antes, show de Mário Mouzinho.
Couvert: R$ 10.

Maiores informações: 3224-7588.

INSCRIÇÃO PARA A SELETIVA DA NOVA COLETÂNEA





Recebi este convite e agradecida repasso à você, querido leitor:

Oi Saavedra,

Li seu blob indicado por Daufen e vi uma biografia rica e iluminada para a paz e a poesia. Soube do Pará as coisas que encantam o Brasil e o mundo. Esse amor revelado por sua terra e pela cultura inspiraram o meu dia e vejo o talento nato para a transferência desse amor pátrio e cidadão.

Gostaria de convidá-la a participar do nosso projeto, em andamento ( Brasil que te quero outro - da Nova Coletânea). A inscrição é gratuita. Basta pôr no papel esse amor ao país, em lírica poética, num limite de 27 versos para homenagearmos o poeta" Affonso Romano de Sant'Anna. O tema sugere o apresentar da necessidade da inclusão dos nosso povo mais carente na educação de qualidade, na oportunidade à cultura e o que mais a sua sensibilidade encontrar.
Primeiro, comunico a grande alegria de encontrá-la.

Para acessar o nosso blog, link em : novacoletânea

Atenciosamente,

--
Bruno Resende Ramos
Projeto de Inclusão Literária
Nova Coletânea
http://www.novacoletanea.blogspot.com



Sobre o Projeto de Inclusão Literária:


Caros autores, membros e visitantes do projeto Nova Coletânea na WEB,

Em homenagem ao grande poeta Affonso Romano de Sant'Anna, venho convidá-los a participar da coletânea "Brasil que te quero outro" que de forma inédita trabalha sem os custos de cooperação, inscrição etc.
Será um prazer tê-los junto a nós neste manifesto cidadão, apolítico e apartidário que eleva nossas aspirações como povo brasileiro a um tempo de melhorias em todas as áreas e setores da vida social. Contamos com o talento de cada um, importante na formação de uma consciência pátria.
Em contrapartida, dilatamos para os próximos dois meses o ingresso de novas OBRAS para a seletiva final ( outubro/novembro), esgotando logo após a chance de participações.

A coletânea será um gesto pacífico e plural que traz o significado de justiça social pelo qual clamam os excluídos e os injustiçados do nosso país.


Incrição para seletiva da Nova Coletânea


Respondendo a Adriana Kairos, poetisa em tantos portais e motivada a participar, adiantei a resposta neste diálogo:

Adriana: — Olá, Bruno! Fico lisonjeada com o convite e SIM gostaria MUITÍSSIMO de participar. Acredito que o "poeta" (escritor, enfim) tem mesmo este papel social, de clamar pelos anseios do povo. Outro ponto sinalizado em seu email que me deixou ainda mais feliz e interessada é o fato do trabalho ser APARTIDÁRIO. Achei perfeito.
Bem, fico aguardando mais informações sobre a participação nesta antologia, que para mim TEM UM VALOR MUITO GRANDE.

Um grande e forte abraço.
E obrigada pelo convite.

Bruno: — Oi Adriana. Exatamente, pois o nosso PARTIDO é o BRASIL. E esse nós o queremos para todos indistintamente. Estamo recebendo poemas de agentes pátrios que revelem as carências e os motivos de sermos artistas de retratos socias pela poesia. Teremos por base o poema de Affonso Romano "Que país é este?", através do qual originaram-se diversas obras na música, nas artes plásticas, no teatro etc. O que queremos é mostrar a nossa identidade de poetas sensíveis aos apelos das temáticas sociais de nosso tempo e país, tanto quanto foram Manuel Bandeira, Carlos Drumond e o próprio Affonso Romano, hoje considerado o sucessor do próprio Drumond. Esse está ansioso para ver o que pensam os novos poetas a respeito desse Brasil de desigualdades qual se observava na época da produção de seu poema 30 anos atrás. Será um grande prazer a todos nós ter nossas OBRAS lidas por ele. Carinhoso com os talentos da atualidade, ele resolveu investir o lucro da venda de sua obra "Que presente te dar" para ajudar nossa publicação. Não perca essa oportunidade!

Sobre o formato, pede-se o uso do máximo de 27 linhas e o título do poema diferente do título do livro "Brasil que te quero outro", mantendo, no entanto, unidade temática com o título.

Após o mês de novembro revelaremos os selecionados para a coletânea, ok?

Um grande abraço


Mais informações quando da confirmação do seu interesse;
pelo e-mail: brunoteenager@gmail.com


Atenciosamente,

Bruno Resende Ramos
Projeto de Inclusão Literária
Nova Coletânea
http://www.novacoletanea.blogspot.com

terça-feira, 28 de setembro de 2010

PÉROLAS DO VASQS


Uma história ebsurda

“ Prezado senhor editor. Escrevo para alertá-lo que no livro As Montanhas de Comores, 646 páginas, na página 606 , linha 16, consta erradamente a palavra “ebsurdo”, quando o correto deveria ser “absurdo”.”

“ Senhor leitor. Agradecemos sua carta acusando o erro da palavra “ebsurdo”, onde se deveria escrever “absurdo”. Corrigiremos na próxima adição.”

“ Prezado senhor editor. Recebi sua carta agradecendo-me por sua vez,a minha.Agradeço
também a sua. Escrevo novamente, se me permite, porque notei,agora em sua carta de agradecimento, outro erro, pequeno, mas de monta, uma vez que altera o sentido da frase. Em vez de “edição”, como suponho quisesse o senhor escrever,está escrito “adição”. E “adição”, nós sabemos desde a escola primária, é soma, ao contrário de “edição”, que, se o livro for um fracasso, subtrai.”

“ Senhor leitor. Noto que o senhor tem olhar clínico. É médico? Detetive? Lavou copos num restaurante? “Corrigiremos na próxima edição”, é o correto. Se houver próxima edição. Se não houver, haverá sebtração. A propósito, devo assegurar: aqui não produzimos livros para serem fracassos.”

“ Senhor editor. Errou de novo. “Sebtração”, nossa, parece que demitiu o revisor. Não tem revisor eletronico? Ainda não informatizou-se? O senhor mesmo digita suas cartas? Sua secretária é vesga?”

“Senhor carteiro. Escrevi “sebtração” de porprósito. Só pra enxer o seu çaco, como tem enxido o meu, embora você me pareça inzuperáveu. Em tempo: “eletrônico” tem acento, senão fica “eletroníco”, com tônica errada. Corrija suas lentes. E o seu português.”

“ Senhor editor. Perdeu a compostura. Nunca mais compro livros da sua “aditora”, antes porque , se lhe falta elegância no trato com seus leitores, imagino como trata seus empregados. Sua secretária deve fazer vista grossa para suas obrigações como reação à sua notável indelicadeza, daí porque essa profusão de erros. Mais a mais, se suas cartas me chegam prenhes de inexatidões, seus livros devem sobejar “ebsurdos”.”

“Senhor ocioso. Fjutirszart! Ubmastdkur! Tomathziyw! Não são nomes de vulcão. São palavrões, senhor vagabundo, palavrões incorrigíveis. Leitores esnobes e cretinos como você, eu dispenso. Imaginar que edito, produzo e distribuo livros para imbecis me dá engulhos.”

“Ah, devo crer, senhor editor de grosserias (como serão seus outros livros, pornográficos?) , devo crer que sou eu o único leitor desse livro, que, aliás,
não disse antes por polidez, é uma grande porcaria. Se ninguém notou o erro na palavra “ebsurdo”, está claro que ninguém mais o leu. Portanto, ao contrário do que disse, esse é um exemplo de fracasso editorial.”

“ Não sei por que perco meu tempo com você, meu caro petulante. Seu tom me enoja,
deve ser do tipo que usa gravata borboleta , pince-nez e que perdigota quando pronuncia a palavra apropinquação. Que idade você tem, velho brontossauro? Em que século a.C mantém sua frequência? Cuidado, não abra muito a janela ou vai se esfacelar com a aragem. Se leu o livro até a página 606 é porque gostou , seu pamonha embalsamada.”

“ Esta será minha última carta...”

“ Esta será minha última carta...”

“ ... senhor ebsurdo...”

“ ... senhor janota de bengala ensebada...”

“ ...estou tomando sérias providências contra o senhor e contra a sua editora. Remeto seu caso pessoal a nossa Excelsa Justiça e o de sua editora à nossa Magnífica Academia de Letras...”

“ ... faça isso ,seu esqueleto encarquilhado. Vossa Excelsa afogou-se na tsunami de processos e há décadas só respira com bombinhas . Vossa Magnífica não atende fantasmas de outras galáxias, ocupada que vive com seus próprios...”

“ ... E passe bem.”

“ ... E pace bem.”


Diz Lígia Saavedra:
Vasqs é uma estrela que brilha no mundo humoristico, escreve para vários sites e por sua constância aqui no nosso sítio cultural o elegemos "Colaborador de Ouro".

Muito obrigada!

CLAUDIA IMBOVICH






HÁLITO


enquanto o ego
ziguezagueia
o hálito cósmico

cada olho passeia
escolhe passos
sapatos e meias
no Universo lógico

quintal universal
quintessência, quantum

pragmático...matemático
como o dia soprando as marés,

toda pessoa tem a marca das matas
das pedras, dos sapos e das manhãs.

Claudia Imbovich


Sobre a autora:
Poeta por formação de cima,aliás; este fato atávico e arrítmico é o que me proporciona a suspensa emoção.

Seja bem recebido,você que lê as minhas divagações!

Diz, Lígia Saavedra:
Pela constância de suas poesias em nosso sítio cultural já considero a poetisa Claudia Imbovich uma rosa de nosso jardim.

Muito obrigada!


Fontes:
Claudia Imbovich via Orkut
Google Images

EVENTO BENEFICENTE




EVENTO BENEFICIENTE DE ARTE,MÚSICA E DANÇA EM PROL DA CRECHE DO JARDIM DAS OLIVEIRAS

22 CIAS DE DANÇA+INCURSÕES POÉTICAS DA CIA DE TEATRO MADALENAS+ ROCK OITENTISTA DA BANDA ACORDALICE.

29 DE SETEMBRO DE 2010,APARTIR DE 18.30H,TEATRO GASOMETRO.

INGRESSOS A R$10,NA BILHETERIA DO TEATRO GASÔMETRO

INFORMAÇÕES 32281254/82527948.


Fonte:
Tamara via Orkut

APOLO CARATATEUA - CORDEL




Sobre o autor:

Apolo mora na ilha de Caratateua e trabalha com literatura de cordel há 6 anos.

O trabalho começou por acaso, em um encontro casual com um amigo, o mesmo lhe estimulou a participar de uma oficina de cordel. Convite aceito, o gosto pelo cordel ganhou o seu coração e fez surgir um novo poeta.

Apolo tem 64 anos. É natural do Estado de Pernambuco, mas mora aqui no Pará há 20 anos. E, como ele mesmo explica sou pernabucano, e depois de tanto tempo morando aqui o coração fica divido entre os dois Estados.”




Apolo de Caratateua já escreveu 13 livretos e um livro que se chama ” Gapuiando Sonhos na Ilha de Itaituba”, em alusão à forma de se pescar em sua região.

O livro começa a ser vendido a partir da semana que vem, na banca localizada no Terminal Rodoviário de Belém. Os seus livretos podem ser encontradas no estande dos Escritores paraenses.

Literatura de cordel é a literatura popular que tomou esse nome por ser apresentado em cima de cordões.

Fonte:
Claudio Cardoso via e-mail

BELLA PINTO



Conto com sua presença no lançamento de meu livro. Convite anexo.

Um abraço

Bella Pinto



Via e-mail

LETÍCIA WIERZCHOWSKI - OS GETKA



Em OS GETKA, novo romance de Leticia Wierzchowski, o narrador é um escritor mergulhado nas lembranças de Lylia, a mulher por quem ele foi apaixonado desde a infância.

Os capítulos alternam as épocas da vida do narrador, entremeando as memórias dos verões na casa azul, onde Lylia era a presença mais forte; passagens do casamento com Isabela, que, após a paixão inicial, perde aos poucos o sentido; o reencontro quando jovens, o descompasso entre o desejo de ficarem juntos e as circunstâncias que os afastavam.


OS GETKA
Leticia Wierzchowski
Grupo Editorial Record/Editora Record
176 páginas
Preço: R$ 32,90




Sobre a autora:
Leticia Wierzchowski nasceu e vive em Porto Alegre, RS.

Estreou na literatura com o romance O Anjo e o resto de nós, em 1998. De lá para cá lançou outros quatorze livros de ficção adulta e infantil, entre eles A casa das sete mulheres, que virou série de televisão e foi publicado em vários países.

É autora também de Os Aparados, Uma ponte para Terebin e Um farol no pampa e O pintor que escrevia, ambos editados em língua espanhola, e dos infantis Semente de gente e Todas as coisas querem ser outras coisas, entre outros.


Fonte:
Revista zaP

SLEEPING BETTY




Fonte:
Infinitos Mundos

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

COMIDAS TÍPICAS PARAENSES


Maniçoba



Carangueijo à toc-toc



Pato no tucupi



Farinha d'água, lá no Ver-o-Peso



Faltam duas semanas para o Círio de Nazaré, a maior festa religiosa do povo do Pará. Neste segundo domingo de outubro de todos os anos o paraense após a grande romaria, reúne-se ao redor da mesa para confraternizar com parentes e amigos saboreando suas delíciosas comidas típicas, deixo aqui uma amostra do que será este almoço com cheiro do Pará.





Acrescentei a pimenta, a castanha-do-Pará, a farinha, o açaí e a bacaba(sobremesa) e o tacacá prá depois da chuva.


Pimenta de cheiro



Bacaba, Açaí, Farinha d'água e Farinha de tapioca



Tacacá



Tucupi



Castanha do Pará



Quem já conhece vai sentir até o cheiro.

Bom apetite!



Google Images

NANA CAYMMI in "RIO SONATA"




Sinopse do documentário

A cantora brasileira Nana Caymmi vem exercendo um papel importante na difusão mundial da música brasileira. Filha do compositor Dorival Caymmi e guardiã de uma herança inigualável, Nana foi casada com Gilberto Gil, foi musa de Milton Nascimento e amiga de infância de Nelson Freire. Considerada por seus colegas de profissão como a cantora entre as cantoras, ela foi testemunha e personagem chave da história da música brasileira dos últimos cinquenta anos.


Assista o trailler:




Fonte:
yahoo.tecontei.com.br
You Tube


Diz, Lígia Saavedra:
"Ai, que lindo!"

PROJETO LITERÁRIO DELICATTA VI




Incrições abertas para o Projeto Delicatta VI!


- R$ 6.000,00 em prêmios em dinheiro

- Premiação no Itaú Cultural em cerimônia reservada com lista restrita de convidados

- Lançamento, autógrafos e vendas na Livraria Saraiva Mega Store no Center Norte


Mais informações no site: www.antologia-delicatta.com


Abraço

Luiza Moreira


Assista o vídeo:




Fonte:
Luiza Moreira via e-mail

A SUPREMA FELICIDADE




SINOPSE

Tomando como base suas próprias lembranças e reminiscências - muitas já mencionadas em artigos e comentários na TV, rádio e jornais -, Arnaldo Jabor volta a filmar após um jejum de mais de 15 anos. Com "A Suprema Felicidade", Jabor mostra uma época em que Rio de Janeiro ainda era a cidade maravilhosa - segundo o diretor, uma espécie "Amarcord" brasileiro, em referência ao clássico nostálgico de Fellini. Com um quê de autobiográfico, no centro da narrativa acompanhamos a transformação de um jovem, entre os 10 e 18 anos de idade, no Rio do final dos anos 1950.

Assista o trailler:



Fonte:
Cinema em cena

MANUSCRITOS GREGOS





A Biblioteca Britânica, em Londres, colocou na internet mais de um quarto dos seus manuscritos gregos, totalizando 280 volumes, em mais um passo rumo à digitalização completa desses importantes documentos antigos.





PUBLICIDADE

Os manuscritos, disponibilizados gratuitamente no site www.bl.uk/manuscripts, são parte de uma das mais importantes coleções localizadas fora da Grécia para o estudo de mais de 2 mil anos de cultura helênica.





Fonte:
www.bl.uk/manuscripts
Google Images

ESCULTURAS EM CHOCOLATE




Uma exposição de esculturas de chocolate e açúcar apresenta peças tradicionais das culturas chinesa e taiwanesa em Taipé, capital de Taiwan.

A mostra World Chocolate Wonderland inclui uma réplica de um dos marcos da cidade, o arranha céu Taipei 101, porcelanas tradicionais, o Exército de Terracota e até réplicas de pratos típicos de Taiwan.

Os organizadores esperam atrair centenas de milhares de visitantes, depois do sucesso do último evento, realizado em Pequim em janeiro.





Fonte:
BBC Brasil - Multimídia
Google Images

MAYRA ANDRADE DE CABO VERDE



Em 2006, surgiu esta nova voz no Arquipélago de Cabo Verde, em Pleno Oceano Atlântico, com o seu álbum de estreia intitulado "Navega", um Conjunto de temas que se apoiam tanto na sua música tradicional da terra natal, como se vão alimentar de vários estilos e diferentes musicais. Atualmente, três anos depois de inúmeros concertos, Mayra Andrade libertou-se claramente das suas marras e deixou-se levar pelos ventos da mudança que sempre guiaram o seu percurso.
Sua infância foi marcada pelas grandes vozes de Cabo Verde, não entanto sua inspiração música-se de todos as possíveis e imaginárias fontes, "Desde free jazz à música brasileira ", como a própria cantora descreve.

Mayra Andrade Nasceu in in Cuba 1985, passou os seus primeiros anos de vida em Cabo Verde e desde os Anos tem vivido em vários paises, dentre quais Senegal, Angola e Alemanha. Em 2001 ainda adolescente, a cantora venceu uma medalha de ouro nos "Jogos da Francofonia", realizados in Otawa, Canadá.



Mayra Andrade procura criar uma sonoridade própria, sempre incluindo e de forma abrangente a diversidade de estilos musicais das Ilhas de Cabo Verde.



Fonte:
mayra-andrade.com

LYS NARDOTO




Lys Nardoto interpreta clássicos da Broadway em concerto

Acompanhada do renomado pianista paraense Paulo José de Campos Melo, a soprano Lys Nardoto apresenta concerto lírico na próxima quarta-feira, dia 29 de setembro, às 19h, no Salão Transversal do Museu Histórico do Pará (Mhep).

A programação faz parte do IV Festival Internacional de Ópera da Amazônia, que foi aberto dia 18 de agosto com a mostra “Festival Internacional de Ópera da Amazônia – Exposição de Figurinos”. A exposição permanece aberta no Salão das Obras de Arte do Mhep, até o próximo dia 2 de outubro.



Sobre a soprano:

Natural de Brasília, a soprano Lys Nardoto começou a estudar música aos quatro anos de idade. No decorrer de sua carreira, trabalhou em diversos teatros brasileiros como Municipal do Rio de Janeiro e de São Paulo, Palácio das Artes, Teatro Nacional Cláudio Santoro e em produções operísticas no Sul do país.

Em 2007, participou da mini-série “Amazônia” na TV Globo, cantando a ária da Rainha da Noite. Recentemente, ganhou o prêmio de melhor intérprete de Mozart no Concurso Maria Callas.


Serviço:
Concerto lírico, com Lys Nardoto e Paulo José de Campos Melo
Data: 29 de setembro (quarta-feira)
Horário: 19h
Local: Salão Transversal do Museu Histórico do Estado do Pará (Mhep)
Praça D. Pedro II, s/n – Palácio Lauro Sodré
Entrada Franca

Informações: (91) 4009-8750 / 4009-8754



Fonte:
Guiart.com.br

SONINHA PORTO - " doEU"




"doEU" é o primeiro livro da poeta gaúcha Soninha Porto.
A partir do momento que descobriu-se poeta, nunca mais parou de escrever e realiza um trabalho de ativismo cultural nas redes sociais do mundo virtual, com o grupo que criou - Poemas à Flor da Pele - reunindo-se com amigos que também estão descobrindo-se poetas, provocando assim, segundo ela, uma nova cara para a realidade cultural e literária do País.
Seu livro fala de dores, amores, infância, felicidade, pessoas, coisas, é uma viagem pelo interior de alguém que tem fome de palavras, de rimas, muitas vezes do conciso e do simples.

Selecionou nomes gaúchos para a apresentação e o prefácio do livro, os Mestres de Literatura, Ricardo Silvestrin e Jorge du Barbosa.
Silvestrin escreve"...a poeta chega trazendo textos variados. Curtos e irônicos, longos e amargos, eróticos e ousados. Tem pra todos. Meus preferidos, aqui, são os amargos, os que tratam da velhice, da perda das ilusões, do desejo em conflito com a passagem do tempo. É difícil falar de perdas. Soninha Porto consegue". e Jorge Du no prefácio arremata "o mergulho de Soninha não é apenas nas letras, mas seu olhar vai até o coração do universo, no imenso rio da vida, como se cada linha tivesse sido escrita para cada leitor. E isso ela faz com maestria, força, graça e, até, humor".

No momento Soninha Porto prepara o lançamento da III Antologia Poemas à Flor da Pele cuja a capa lhes apresento aqui:





Sobre a autora:




Mulher gaúcha, nascida em 02 de março de 1953, na cidade de Cruz Alta, terras das Missões do Rio Grande do Sul e do grande Erico Verissimo.
Trabalhou como Assessora da presidente Marines Bonacina da CAPORI, 2006/2007 e não parou mais, tem páginas em blogs e sites da internet, e escreve para colunas Eunanet, Jornal o Rebate, Portal do Anand Rao, Vejo São José e para o Blog Discutindo Literatura Crônicas.

Antologista e Promotora de eventos culturais administra a Comunidade Poemas à Flor da Pele, onde realiza festivais literários, concursos permanentes e divulga autores novos e consagrados no espaço ou em E-books virtuais.
Coordenou a primeira Antologia "Poemas à Flor da Pele" (em parceira com o Proyecto Cultural Sur) e junto com poetas da comunidade criou o primeiro livro infantil "Poemas à Flor da Idade", ambos lançados em outubro/2008, no XVI Congresso de Poesia em Bento Gonçalves. Renovou em 2009 o convênio e lança a segunda antologia em 8 de outubro de 2009, na mesma cidade.


Fonte:
Soninhaporto.com

domingo, 26 de setembro de 2010

DÉBORA MORENO - SAPATOS DO TEMPO


Será lançado, com data ainda não divulgada, o Livro "Sapatos do Tempo" da escritora carioca, Débora Moreno, autora de desesseis outros livros de poesias que fazem um grande sucesso dentre os admiradores do seu trabalho poético.

Sobre a autora:
A poesia vive dentro de mim. Sempre gostei de fazer redações, na época de escola sempre fui "fera" nas redações. Notei que um dia fiz uma professora sorrir, que antes era muito séria, do tipo que não ria pra aluno. Ela foi corrigir a redação que eu fiz e quando teminou a correção me chamou à mesa sorriu e disse que tinha se lembrado de uma antiga música e a minha redação estava engraçada. Eu fiquei feliz com o sorriso dela. Era uma época que tinha-se mais respeito aos educadores e vice e versa.
Descobri o Dom da poesia aos 27 anos de idade, comecei a escrever livros e mais livros de poesia, nunca os editei, mas este ano de 2010 vamos ter novidades literárias, se Deus assim permitir. Sou declamadora, poeta e escritora! Moro na cidade de Niterói, amo esta cidade, suas praias,seus contrastes, suas ruas, o povo, o mar... E a ponte que vejo todos os dias. Estou escrevendo o meu 17° livro de poesia, Declamo em vários lugares e até recebo dinheiro, quando me chamam para participar de algum evento.

Fonte:
Mural dos Escritores

EXPOSIÇÃO "SENTIDOS DA IMAGEM"

NICOLLO MAQUIAVEL - O FILÓSOFO "DA HORA"


Retrato de Maquiavel (detalhe)
por Rosso Fiorentino (c. 1517)

"Um povo corrompido que atinge a liberdade tem maior dificuldade em mantê-la."

"São tão simples os homens e obedecem tanto às necessidades presentes, que quem engana encontrará sempre alguém que se deixa enganar."

"Mas a ambição do homem é tão grande que, para satisfazer uma vontade presente, não pensa no mal que daí a algum tempo pode resultar dela..."

"Os homens quando não são forçados a lutar por necessidade, lutam por ambição."

"O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta."

"Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos."

"Uma mudança deixa sempre patamares para uma nova mudança."

"Todos vêem o que pareces, poucos percebem o que és."

"...Pois o homem que queira professar o bem por toda parte é natural que se arruíne entre tantos que não são bons."


Sobre o autor:
Niccolò Machiavelli, dito Maquiavel, ensinou ao mundo uma lição de política prática. Nasceu em 1469, filho de um advogado, e cresceu na cidade italiana de Florença. Em 1498, conseguiu um cargo secundário de funcionário do governo de Florença, emprego que conservou durante 14 anos.
Tornou-se funcionário público de confiança e, finalmente, um diplomata, que viajou para todas as importantes cidades-Estado da península e também para diversas cortes estrangeiras.

Em toda a parte, Maquiavel observava os políticos e suas maneiras; tornou-se um analista do poder. Acima de tudo, amava a Itália e queria vê-la unida sob um monarca. Em 1512, perdeu sua posição por causa de uma mudança no governo florentino. Instalou-se, então, numa pequena comunidade fora da cidade e pôs-se a escrever. A mais famosa de suas obras é O Príncipe, um manual que contém as regras desenvolvidas a partir de suas observações, as quais esperava ver utilizadas por um monarca para unir a Itália. Maquiavel morreu em 1527 e O Príncipe foi publicado cinco anos mais tarde.
Típico pensador do Renascimento, Maquiavel é considerado o primeiro teórico do Estado moderno. Ele vislumbrava a necessidade de um Estado centralizador e poderoso, em que o governante se sobressaísse sobre os demais senhores feudais e tivesse poder para conduzir a sociedade.




Como outros humanistas italianos da Renascença, Maquiavel sempre foi um ávido leitor. Suas leituras incluíam uma série de livros tradicionais, dirigidos aos governantes e contendo conselhos de como exercer o governo.
Os autores tinham escrito em termos idealistas, orientados por crenças religiosas medievais. Maquiavel inverteu suas máximas. Para ele, não havia meios que os fins não justificassem, nem códigos morais que não pudessem ser transgredidos, nem princípios religiosos que reprimissem o governante. Ao fazer a distinção entre o que um homem era e aquilo que deveria ser, ficou com a realidade como a via e eliminou o "deve ser" de seu vocabulário.


Fontes:
O Pensador
Educação.uol.com.br
Google Images


MESTRES DO CINEMA ORIENTAL




A Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema (APJCC) (colar no nome o link: http://apjcc.blogspot.com/), em parceria com o Cine Argonautas, iniciará um ciclo de exibições de obras do cinema oriental. Essa ação inaugura uma jornada da Associação, em prol da criação de um olhar mais atento à fantástica produção audiovisual do Oriente.

O Ciclo Novos Orientes apresentará ao público cinco obras cinematográficas orientais, entre elas dois longas de animação japonesa. A primeira exibição será do filme “Princesa Mononoke”, de Hayao Miyazaki.

O longa retrata a relação humana com a natureza, no que diz respeito aos conflitos que envolvem a questão do progresso desenfreado do homem, em detrimento ao meio ambiente.

O personagem Ashitaka, jovem guerreiro do clã Emishi, é amaldiçoado ao defender a sua aldeia de um demônio criado pela violência humana.

Assim, viaja até a região controlada pelo clã Tatara, na esperança de compreender a maldição que lhe fora posta, antes que esta o mate. O que Ashitaka vai encontrar é um conflito entre os humanos e os deuses da floresta.

Apanhado em meio a essa batalha, Ashitaka conhece a Princesa Mononoke (San), criada por lobos. Desde então, enfrenta vários conflitos para acabar com os humanos que ameaçam a floresta. Ashitaka coloca-se entre San e Lady Eboshi, a líder do clã Tatara, procurando um meio de terminar a guerra.

Através do Ciclo Novos Orientes, a APJCC propõe estimular o contato com os mestres orientais, através da arte produzida pelas lentes do cinema. As exibições serão sempre as quartas-feiras, com entrada franca, permanecendo em cartaz até outubro, em Ananindeua.

Texto: APJCC
Edição: Leylla Melo, da redação


Confira a programação completa:

29 de setembro: “Princesa Mononoke”, de Hayao Miyazaki
06 de outubro: “RAN”, de Akira Kurosawa
13 de outubro: “Dragão Chinês”, de Lo Wei
20 de outubro: “Sede de Sangue”, de Chan-wook Park
27 de outubro: “Túmulo dos Vagalumes”, de Isao Takahata

Serviço:

Ciclo Novos Orientes apresenta “Princesa Mononoke”, de Hayao Miyazaki
Data: 29 de setembro (quarta)
Horário: 18h30
Local: Sala de Exibição do Restaurante Popular de Ananindeua
Cidade Nova VI, WE 72 com Sn 22 (em frente a praça Dom Vincente Zico)
Entrada Franca
Realização: APJCC e Cine Argonautas
Parceria: SEMMA, Cine CCBEU, Ponto de Cultura Ananindeua e Rede Norte de Cineclubes
(RNC)


Fonte:
Guiart.com.br

III Prêmio Literário Canon de Poesia





Inscrições até 30.09.2010

O concurso cultural denominado III Prêmio Literário Canon de Poesia 2010 é promovido pela Canon do Brasil Ind. e Com. Ltda, pessoa jurídica estabelecida na Cidade de São Paulo, inscrita no CNPJ sob o nº 046.266.771/0001-26, pela Fábrica de Livros e pelo Grupo Editorial Scortecci, para autores brasileiros, maiores de 16 anos, residentes no Brasil.
Tem por objetivo descobrir novos talentos, promover a literatura e difundir
a impressão digital de livros no Brasil. Este concurso é exclusivamente
de cunho cultural, sem qualquer modalidade de sorte ou pagamento pelos
concorrentes, estando aberto à participação de todos que assim o
desejarem, sendo promovid o pela
empresa de acordo com a Lei n. 5768/71 e Decreto 70.951/72.

REGULAMENTO / INSCRIÇÕES

info@concursosliterarios.com.br

Fonte:
Mar de Letras

sábado, 25 de setembro de 2010

AI WELWEI







Filho de um dos mais renomados poetas modernos da China, Ai Weiwei nasceu em Pequim, em 1957. Artista, arquiteto, fotógrafo e curador, é também conhecido por seu engajamento na luta pelos direitos humanos. Produz instalações, fotografias, e realiza performances.

Em seu trabalho, o artista faz uso de elementos tradicionais da cultura chinesa, mesclando-os com um estilo moderno, de maneira provocativa.

Em uma de suas obras, por exemplo, usou mochilas de crianças mortas em um terremoto; em outro, utilizou madeira de templos budistas de mil anos que haviam sido demolidos por ordem do Partido Comunista. Em 2007, o artista levou 1.001 chineses que nunca haviam viajado para o exterior para a documenta de Kassel, na Alemanha, acompanhados de 1.001 cadeiras no estilo da dinastia Qing.

A série de esculturas "Circle of Animals", em exposição na 29ª Bienal de São Paulo, representa as doze figuras do zodíaco e toma como referência um conjunto de cabeças de bronze do antigo palácio imperial de verão em Pequim.

Ajudou a conceber o Estádio Nacional de Pequim, o "Ninho de Pássaro", palco dos Jogos Olímpicos em 2008. No mesmo ano, participou da 11ª Bienal de Arquitetura de Veneza. Mora e trabalha em Pequim.

Fonte:
Folha.com - Ilustrada
Google Images

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com