Ajuruteua

Ajuruteua

terça-feira, 30 de novembro de 2010

LUCINHA BASTOS



Sobre Lucinha Bastos:
Luciete Ferreira Bastos, mais conhecida como Lucinha Bastos (Belém do Pará, 1967) é uma cantora, violonista e compositora brasileira. É filha de Luciano Bastos, fundador do Banda Sayonara, de Belém.
Em 1977 fez sua primeira apresentação no Theatro da Paz, ao lado de Miltinho, no Projeto Pixinguinha.

Assista a um vídeo de Lucinha:


Fontes:
Divulgação
Wikipédia
You Tube

REGINALDO VIANA



Reginaldo Viana é um cantor paraense de grande talento, com 17 anos de carreira, uma belíssima voz e grandes interpretações.
Ele estará apresentando o show "Sob Medida" no Hilton Belém.

Sobre o cantor:

Reginaldo Viana, cantor, poeta, paraense, iniciou seus estudos de canto aos 15 anos de forma despretensiosa, buscando apenas corrigir problemas decorrentes de mudança de voz na adolescência, daí então se apaixonando pela arte de cantar e começando um longo caminho de estudos sobre música, culminando com o seu ingresso na Universidade Federal do Pará no curso de Educação Artística-Habilitação em Música e no curso de canto lírico da Escola de Música da UFPA.

Além de regente do Coral Canto e vida, regeu também o Coro Madrigal de Belém, sob orientação do maestro Silvério Maia e o Coral da Fundação HEMOPA durante cinco anos.
No momento, é diretor artístico da Associação Amazônica de difusão cultural, social e ambiental (Amazônica Cultura, Ponto amazônico de Cultura viva), sendo responsável pelos seguintes projetos:
Quinta Instrumental Hilton, Amazon Jazz, Canto da MPB, Clube do Choro, Canto da Música popular paraense, Belém Rock Anos 80 (Belém Shopping Iguatemi), MPB na Amazônia (Belém Shopping Iguatemi), Praça da Música (Belém Shopping), Canto da Música Paraense (IT Center), Praça da Música (Iguatemi) .

Participa da equipe técnica do Projeto Música e cidadania da Fundação Carlos Gomes, e é idealizador do Projeto Uma rádio em terapia (Hospital Offyr Loyola).

Assista aqui a um vídeo de Reginaldo Viana:

Fontes:
Reginaldo Viana via Orkut
You Tube

LÍGIA SAAVEDRA - "ÀS ARMAS!"



ÀS ARMAS!


Nunca haverá guerra sob a bandeira da Concórdia.
Pois, por onde marcham os soldados da Gentileza e da Tolerância,
A Paz sempre estará de prontidão.

A luz da terra não se apagará ante o crime.
Enquanto se laureie a “Não Violência”
E a escuridão só premie quem a procura.

Até onde o Esclarecimento, a Espontaneidade, a Autonomia e a Ética,
Forem possíveis em nossa Vontade de Vida
Sem nada de angústia e com Livre-arbítrio.

Se cessada a submissão, a servidão, a escravidão e a tortura,
Um digno horizonte nos mostrará a Liberdade
Sem resquícios emergidos das brumas do passado.

E, finalmente, enquanto a Igualdade e o Pacifismo dominarem,
E possamos levantar a bandeira Branca
Perante o decreto da Paz.

Nunca haverá guerra sob a bandeira da Concórdia
Pois, por onde marcham os soldados da Gentileza e da Tolerância,
A Paz sempre estará de prontidão.



LÍGIA SAAVEDRA

Publicado no Overmundo em 27.02.2008
Foto: www.rpgonline.com.br

NOEL ROSA


Se vivo fosse Noel Rosa este ano faria 100 anos e várias homenagens estão sendo feitas em todo o país para comemorar este grande compositor brasileiro.
Fazemos aqui o nosso registro para que eternize-se também neste espaço, o nome e a obra deste grande músico.

Sobre Noel:
Noel Rosa nasceu no bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, que se tornou célebre através de suas músicas. Sua mãe teve um parto difícil e o médico precisou usar fórceps, o que teria causado seu problema no queixo, pouco proeminente.

Noel cresceu franzino e doentio. Apesar disso, desde a adolescência interessou-se pela vida boêmia, freqüentando rodas de samba. Aprendeu a tocar bandolim com sua mãe, adotando depois o violão, que aprendeu a tocar com o pai, como seu instrumento.

Em 1927, Noel fundou, com os compositores Almirante e Braguinha, o Bando dos Tangarás. Nesse ano, criou suas primeiras composições, "Minha Viola" e "Festa no Céu".

Entrou para a Faculdade Nacional de Medicina em 1930, que abandonou dois anos depois.

Em 1931, a composição "Com que Roupa?" tornou-se um grande sucesso no Carnaval.

Durante a década de 1930, Noel Rosa tornou-se um compositor extremamente criativo e protagonizou uma carreira vertiginosa, com mais de uma centena de composições, entre sambas e marchinhas. Trabalhou com dezenas de parceiros. Foi nessa década que compôs os sucessos "Feitiço da Vila", "Filosofia", "Fita Amarela", "Gago Apaixonado", "O x do Problema", "Palpite Infeliz" e "Pra que Mentir".

Noel Rosa vendeu suas músicas para outros cantores, tornando-se conhecido no rádio, pelas vozes de cantores como Araci de Almeida, Mário Reis e Francisco Alves.

Além de serem crônicas da vida carioca, as letras bem elaboradas de Noel Rosa tematizaram o amor. Em 1934 o poeta apaixonou-se por Ceci, que conheceu numa festa junina. No fim desse ano, no entanto, acabou casando-se com Lindaura.

Doente de tuberculose, Noel Rosa passou uma temporada em Belo Horizonte, em busca de tratamento, voltando depois ao Rio de Janeiro. Continuou levando a vida nos bares, bebendo e fumando.

Apresentava-se em programas de rádio e fazia recitais e apresentações públicas. Em 1935, ainda viu duas composições suas estrearem no cinema, no filme "Alô, Alô Carnaval".

Noel tinha apenas 26 anos quando faleceu em sua casa, no bairro de Vila Isabel.

Assista aqui um vídeo de Noel Rosa:


Fontes:
NET SABER-Biografias
You Tube
Google Images

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

BRUNA SURFISTINHA - TRAILLER


Os produtores de Bruna Surfistinha, o filme, publicaram o primeiro trailer do longa. A novidade foi contada por Deborah Secco, via Twitter (@dedesecco). “Pessoal, aqui em primeira mão o teaser do filme ‘Bruna Surfistinha‘!!!! Muito feliz!!!! brunasurfistinhaofilme.com.br Não deixem de ver!!!!”, postou a atriz, que interpreta a garota de programa.

No vídeo, a cafetina Larissa, interpretada por Drica Moraes, informa à novata Bruna: “Bom, o esquema é simples: cada programa, uma hora, 100 reais, 40 seu, 60 da casa. Ok?”. Uma assustada menina, a futura Surfistinha, responde: “Ok”.

Deborah mostra um pouco de nudez nesse vídeo – mas há nudez total no filme, que os produtores torcem para que leve classificação entre 14 e 16 anos.

As filmagens aconteceram entre setembro e outubro de 2009. O filme está em pós-produção e tem data de estreia prevista para fevereiro de 2011. Rachel Pacheco – nome real de Bruna – participou das filmagens, mas não vai aparecer na edição final.

Assista ao trailler:

Sobre a verdadeira Bruna Surfistinha:
Raquel Pacheco, mais conhecida pelo pseudônimo de Bruna Surfistinha[1], (Sorocaba, 28 de outubro de 1984) é uma escritora, blogueira e ex-prostituta brasileira que se tornou uma celebridade da internet a partir de 2005. Ela também atuou num filme pornográfico e escreveu uma autobiografia, O Doce Veneno do Escorpião, que foi um best-seller no Brasil.

Fontes:
Bruna Surfistinha o filme
Wikipédia

MAURITS CORNELIS ESCHER






Exposição no Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília mostra a complexidade dos trabalhos do artista holandês


O artista holandês Mauritis Cornelis Escher (1898-1972) tem uma obra única. Suas representações de construções impossíveis e metamorfoses – padrões que se transformam gradualmente em formas completamente diferentes – se tornaram clássicos e reproduções delas estão espalhadas pelo mundo. O desenhos e fac-símiles na mostra “O Mundo Mágico de Escher”. O acervo é da coleção do Haags Gemeentemuseum, que mantém o Museu Escher, na cidade de Den Haag, na Holanda, e fica em cartaz em Brasília até 26 dezembro.
Em 17 de janeiro a exposição acontece no CCBB do Rio de Janeiro e depois vem para o CCBB de São Paulo, em data a definir.
Sobre o arista:
Maurits Cornelis Escher (Leeuwarden, 17 de Junho de 1898 - Hilversum, 27 de Março de 1972) foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes.

Serviço
Centro Cultural Banco do Brasil Brasília
Sala multiuso, Galeria, vão central e jardins
SCES, Trecho 02, lote 22
Tel: (61) 3310-7087
ccbbdf@bb.com.br
Entrada franca


Fonte:
Último Segundo

domingo, 28 de novembro de 2010

NO MEIO DO CAMINHO - CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.



Sobre o autor:

Carlos Drummond de Andrade (Itabira, 31 de outubro de 1902 — Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1987) foi um poeta, contista e cronista brasileiro.

Fontes:
Memória Viva

sábado, 27 de novembro de 2010

O DECÁLOGO - KRZYSZTOF KIÉSLOWSKI


Nesta segunda, a partir das 20h, o Cine Alexandrino Moreira apresenta mais dois episódios de “Decálogo”, série televisiva do diretor polonês Kieslowski onde cada episódio retrata um dos Dez Mandamentos do catolicismo. Na sessão serão exibidos episódios baseados no terceiro e o quarto mandamento. A entrada é franca.

“Respeitar os Dias Santos” é o nome do primeiro episódio e apresenta a busca de uma mulher pelo marido desaparecido durante a véspera de Natal, fazendo com que ela recorra a um antigo amante para ajudá-la. Tal encontro traz à tona lembranças de um relacionamento tumultuado do passado.

Já no segundo episódio da noite, intitulado “Honrar o Nome do teu Pai e tua Mãe”, a trama envolve um relacionamento afetuoso entre um viúvo e sua filha de 20 anos. Tal harmonia entre os dois é abalada após a jovem descobrir, através de cartas escritas pela mãe, que ele não é seu verdadeiro pai.

Realizado em 1988, “O Décalogo” foi consagrado no 46º Festival de Veneza como uma obra-prima de Kieslowski. Durante cada episódio, o diretor deixa sua particularidade de forma peculiar, atento aos detalhes com uma notável sensibilidade ao tratar de temas inerentes ao ser humano.

Assista ao primeiro episódio de "O DECÁLOGO":


Sobre o diretor do filme:
Krzysztof Kieślowski (Varsóvia, 27 de junho de 1941 — Varsóvia, 13 de março de 1996) foi um diretor de cinema da Polónia. Estudou cinema na Escola de Teatro e Cinema de Lodz, por onde também passaram os cineastas Roman Polanski e Andrzej Wajda.


Serviço:
Cine Alexandrino Moreira apresenta: “Decálogo”, de Kieslowski (episódios 3 e 4)
Data: 29 de novembro (segunda)
Horário: 20h
Local: Auditório do Instituto de Artes do Pará (IAP) – Praça Justo Chermont, 236
Entrada Franca

Fonte:
Guiart.com.br
You Tube
Wikipédia

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

IMAN MALEKI











Sobre o pintor:
Iman Maleki (Teerã, 1976 - ) é um pintor iraniano do hiper-realismo.
Desde pequeno sentiu a vocação para a pintura; graduou-se na Universidade de Arte de Teerã como desenhador e estudou com o melhor pintor hiper-realista do Irã, Morteza Katouzian, aperfeiçoando uma minuciosa técnica de realismo quase fotográfico. Foi galardoado com o prémio William Bouguereau e o “Chairman’s Choice” na II Competição Internacional do Art Renewal Center.
Pintor neo-clássico, considerado pupilo de Sir Lawrence Alma Tadema. Gozou de muita popularidade, mas seu estilo resultou-se superado, quando do surgimento de novos estilos pictóricos, principalmente o do pintor espanhol Picasso. Adepto da pintura de Frederick Leighton, mas seu estilo era mais próximo do de Alma-Tadema, com quem compartilhava uma forte paixão pela arquitetura clássica. Expôs na Royal Academy em 1887.

Sua família desaprovava sua carreira e,em 1912, ao mudar-se para a Itália com uma de suas modelos, rompeu qualquer tipo de contato com ele. Retornou à Inglaterra em 1919, ali permanecendo até sua morte, por suicídio (asfixia por gás), em 1922. Envergonhada, sua família, acabou queimando seus documentos e fotos. Não se tem conhecimento de ter restado alguma.

Fontes:
Humanismo y Conectividad
Wikipédia
Site do artista

GRUPO ABBA EM BELÉM


Acontece hoje na Assembéia Paraense o mais esperado show deste grupo que marcou a geração dos jovens na década de 70 com suas belas, romanticas e muito bem interpretadas melodias por seus componentes.

Sobre o ABBA:
É um grupo de rock formado em 1972, na Suécia pelos músicos e compositores Björn Ulvaeus e Benny Andersson, e as vocalistas Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad (também chamada Frida). Foi o grupo musical sueco de maior sucesso mundial, dominando as principais paradas ao redor do globo entre a segunda metade da década de 1970 e o início dos anos 1980. O grupo ficou muito conhecido por seu visual moderno e divertido e por suas músicas que sempre se mantinham nas primeiras posições, tendo seus números nas paradas Top Ten superados apenas pelos Beatles. Mantiveram seus singles por 160 semanas nas paradas no Reino Unido, até o fim de 1979. Em Janeiro de 2010, na abertura do ABBAWorld em Londres, o ABBA foi mostrado como tendo aproximadamente 375 milhões de álbuns vendidos no mundo inteiro.

Assista aqui ao ABBA:


Diz, Lígia Saavedra:
Curti muito "Dance Queen" e até casei ao som desta música.
.

Fontes:
WEB
You Tube
Meu coração

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

LEANDRO DIAS - DOS CAMINHOS




Fonte:
Reginaldo Santos via e-mail

"E SE FOSSE COMIGO"




Fonte:
Elson de Belém via Orkut

" O FUXICO"



Fonte:
Geulliana Rupf via Orkut

5ª MOSTRA DE CINEMA E DIREITOS HUMANOS NA AMÉRICA DO SUL


5ª Mostra Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul chega a Belém

Em 2010, a Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul completa cinco anos. Criada em 2006 para celebrar o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Mostra vem se firmando como um espaço de reflexão, inspiração e promoção do respeito à dignidade intrínseca da pessoa humana.

O Brasil tem buscado fortalecer a educação e a cultura em Direitos Humanos, visando à formação de uma nova mentalidade para o exercício da solidariedade, do respeito às diversidades e da tolerância. Como expressão artística, o cinema possui uma linguagem própria, capaz de tocar pessoas, despertar sentimentos, sensibilizar olhares e construir identidades comuns. Desta forma, a arte permite conhecer e interagir.

Inicialmente exibida em quatro cidades, a Mostra veio crescendo a cada ano. A quinta edição estará presente em 20 capitais brasileiras, percorrendo as cinco regiões do Brasil. No ano passado, registrou um público superior a 20 mil pessoas, em 16 cidades. A estimativa para este ano é que esse número seja duplicado, pelo aumento no número de cidades participantes e pelo reconhecimento que o evento já conquistou.

A 5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é uma realização da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Cinemateca Brasileira, patrocínio da Petrobras e apoio do SESC-SP, da TV Brasil e do Ministério das Relações Exteriores.

Com todas as sessões gratuitas, sempre em salas acessíveis para pessoas com deficiência, a Mostra é um convite ao olhar e à sensibilidade cinematográficos, que traduzem temas atuais de Direitos Humanos e despertam a reflexão e a construção de identidades na diversidade.

Em Belém, a mostra acontece no período de 25 a 28 de novembro e de 02 a 05 de dezembro, no Cine Líbero Luxardo, com entrada franca.


Texto: Assessoria de Imprensa
Revisão e Edição: Leylla Melo, da redação

Fonte:
Guiart.com.br

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

BECO DOS POETAS - 5ª ANTOLOGIA




Fonte:
Grupo Editorial Beco dos Poetas Via e-mail

ARMANDO SOBRAL - EXPOSIÇÃO JARDINS SAGRADOS


Em locais apartados da realidade, a contemplação pura. Durante a Idade Média, nos monastérios, lugares assim eram conhecidos como “hortus conclusus” – expressão em latim que significa “jardim secreto” e que eram os locais próprios de busca da transcendência espiritual. O artista plástico Armando Sobral retoma este cenário e propõe uma questão conceitual: o enclausuramento da obra de arte dentro de museus. Pensar a linguagem a partir das condições de recepção e entendimento mediadas pelo ambiente museológico pode ser compreendida como a representação de um mundo idealizado, como nos tais “hortus conclusus” medievais.


De acordo com Armando, a referência conceitual é uma forma de pensar a obra de arte como objeto sacro dentro dos museus, afirmar o lugar convencionalizado da obra para assim assumir uma posição crítica do papel sacralizado que a arte ocupa no cenário da cultura contemporânea, sua estratificação e alheamento da vida. “Não pensei em negar a ideia de museu, mas afirmá-la, construindo objetos dentro de processos tradicionais de escultura e valorizando o espaço museal”, diz. Com isso, uma vegetação de pequenos volumes surgem de forma quase oculta para o espectador nas esculturas da exposição “Jardins Sagrados”, que abre hoje, às 19h, no Museu da Universidade Federal do Pará. (Diário do Pará)


Sobre o artista:
Armando Sobral nasceu em 25 de setembro de 1963, em Belém do Pará. Graduado em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado. É professor da Universidade Federal do Pará e vem prestando assessoria técnica para instituições públicas do estado que atuam nas áreas educacional e cultural. Participou de diversas mostras nacionais e internacionais (Espanha, Canadá, Japão, Estônia, Rep. Tcheca, Argentina, Polônia, Noruega, México, Cuba), e dentre as mostras mais recentes destacam-se: Impressões: Panorama da Xilogravura Brasileira, Santander Cultural, RS, 2004; Curador da coletiva de gravura “Múltiplos”, Galeria Graça Landeira, Belém, 2003; “Traços e Formas na Gravura Contemporânea Brasileira”, VIII Bienal de Havana, 2003; “Mantas – Xilogravuras”, individual no Museu de Arte Sacra de Belém, 2002; “Entre el Gesto y la Repetición”, FUNCEB, Buenos Aires, 2002; “Trilingüe ABC Estampes Actueles”, Universidade de Quebec, 2001; 3a Trienal de Gravura “Colour in Graphic Art”, Polônia, 2000; “Investigações: A Gravura Brasileira”, Instituto Cultural Itaú, 2000; “XII Bienal Iberoamericana de Arte - Estampas de fin de siglo y hacia un nuevo milenio” (artista convidado ), México, 2000; “Gravuras”, individual na Galeria do CCBEU, Belém, 2000.

Armando Sobral
armandosobral@hotmail.com
www.kunstinzicht.nl
www.gravuraonline.com.br
armandosobral.wordpress.com
tel/fax 55 91 3241-7806


Fonte:
Diário do Pará
Site do artista

terça-feira, 23 de novembro de 2010

VÍDEO CONVITE ´PARA O SHOW DE PATRÍCIA BASTOS

Com direção musical e participação especial do compositor Dante Ozzetti, a cantora amapaense faz um show de lançamento do CD 'Eu sou caboca', contemplado pelo projeto Pixinguinha e indicado ao Prêmio da Música Brasileira em duas categorias: melhor cantora nacional e melhor cantora regional. Sua banda é composta pelo Trio Manari (percussão), Du Noreira (baixo) e Bibi (metais). Ingressos à venda pelo sistema INGRESSOSESC, a partir de 01/11. Auditório.

SESC Vila Mariana - SP

Dia(s) 26/11
Sexta, às 20h30.




Fonte:
Francinne Amarante via Facebook

CARIMBÓ PARAENSE CHEGA AO TOCANTINS

O Carimbó é a música e a dança tradicional paraense por excelência, cuja manifestação ocorre há mais de dois séculos em quase todas as regiões do Estado. Junção caprichosa do pé batido indígena com o rebolado africano, preservado nas comunidades pela oralidade dos mestres populares, afirmamos mesmo que o Carimbó é parte essencial da alma paraense e amazônida, um componente fundamental da identidade cultural brasileira.

A Irmandade de Carimbó de São Benedito, da cidade de Santarém Novo, apresenta características particulares que a destacam dos demais grupos e comunidades carimbozeiras do estado. Fundada em meados do século XIX, a Irmandade mantém uma tradição extremamente complexa que envolve onze dias ininterruptos de festa, conduzidos pelo lendário conjunto musical “Os Quentes da Madrugada”, reconhecidos nacionalmente como um dos grupos mais tradicionais e autênticos do carimbó paraense.
Referência fundamental da cultura popular de nossa região, desde 2005 a Irmandade também é a principal responsável pela articulação do processo de registro do Carimbó como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira junto ao IPHAN. Foi dela a iniciativa de iniciar a luta por esse reconhecimento nacional, organizando desde então a Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro hoje considerado um dos mais importantes movimentos culturais da região Norte.


PROGRAMAÇÃO EM TOCANTINS INICIA HOJE E SEGUE ATÉ DIA 26 DE NOVEMBRO

O Circuito Carimbó BR Adentro inicia hoje suas atividades no Tocantins, realizando oficinas e show em Taquaruçu, no Ponto de Cultura Canto das Artes, um dos parceiros que apoiam o projeto aqui no Estado. A parceria com o Canto das Artes surgiu por indicação do Ponto de Cultura Tambores do Tocantins, que também é parceiro do Circuito e que, assim como a Irmandade de Carimbó de São Benedito, faz parte da rede Ação Griô Nacional.
Além dos Shows e Oficinas, o Circuito também irá promover Rodas de Conversa com mestres do Carimbó e mestres das tradições em cada localidade visitada, favorecendo o diálogo e o fortalecimento das expressões culturais locais em luta pelo reconhecimento como parte fundamental da diversidade cultural brasileira.


Contatos e Informações
Coordenação do Circuito: (91) 8263-9738 (Isaac Loureiro) (91) 8253-2798 (Solange Loureiro)

Ponto de Cultura Tambores do Tocantins (Porto Nacional): (63) 8428-1442 (Márcio Belo)

Ponto de Cultura Canto das Artes (Taquaruçu): (63) 9237-2057 (Tharson)
Blog: www.campanhacarimbo.blogspot.com

E-mail: carimbopatrimonioculturalBR@gmail.com
Orkut: campanhacarimbo@gmail.com


Fonte:
Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro via e-mail

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

BESOURO CORDÃO DE OURO


"Besouro Cordão de Ouro" em Madureira !

O bairro de Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, é terra do Império Serrano, da Portela, do Jongo da Serrinha, do pagode da Tia Doca, do Mercadão, do viaduto Negrão de Lima, da capela de São José e muito mais.

Na próxima quinta e sexta feira, 25 e 26 de novembro as 20 horas, o SESC MADUREIRA será palco do espetáculo musical BESOURO CORDÃO DE OURO, de Paulo César Pinheiro.
Maiores informações no blog:

http://quintal-do-lobisomem.blogspot.com/

Victor Garcia via e-mail

LÍGIA SAAVEDRA - MUSICA-ME


MUSICA-ME!

Imagina se eu cantasse
a minha paixão por ti.
Somando notas em pauta
entregando-me a lascívia
da música com a poesia
num ménage encantador.
Até sinto a dor do ciúme
Da boca a lamber a língua
quando a pronúncia dos versos
encaixa-se à melodia
num tão sensual solfejo
que o som se transforma em canto
encanta a alma em transe
e o corpo só corresponde
ao gozo arrebatador
da canção que me penetra
do-ré-mi-fando os meus sentidos
sol-lá-siando o meu amor


LÍGIA SAAVEDRA

PÉROLAS DO VASQS - VI


Paz
Viram o futebol pela paz que jogaram jovens palestinos e judeus nas ruas de Hebron? Diz que o momento mais emocionante foi quando o artilheiro matador chutou uma bomba que explodiu no travessão.

Hê, São Paulo
O que mais tem em São Paulo é congestionamento. De trânsito e de nariz.

Meio ambiente, lei
Artigo 1º, parágrafo idem: Deverá restar ao menos uma árvore onde enforcar um canalha.

Memória
O tempo passa e a memória míngua. Pra ajudar, adquiriu o hábito de espalhar bilhetinhos pela casa pra ele mesmo: “comprar caneta - preta”, “pagar o telefone”,“cortar as unhas” ,“pingar colírio : duas vezes/dia , 3 gotas/olho”, “meu nome é Paulo Pereira, 60 anos, casado” ,etc. Um dia achou um bilhete ao lado do espelho: “Este é você. Lembra?”

O pensador
E se tudo não passar de uma programação de TV? E se a vida for apenas um intervalo? E se a gente for um anúncio de sabão em pó desses que comparam a roupa mais suja com a mais branca? E se a gente for a roupa suja?

O pensador, 2
E se não houver infinito? E se a gente estiver dentro de uma boca grande? E se não tiver estrelas no céu da boca? E se os dentes mastigarem a gente? E se a Grande Língua da Grande Boca empurrar a gente pra dentro do Grande Estômago cheio de ácido? E se a gente virar coco? E se formos atirados no rio Tietê?

A vaca
De menino a gente aprende que a vaca nos dá o leite, o couro, os ossos, a carne, etc. Bicho mais generoso! Quer dizer, a vaca não é mão-de-vaca.

Poema ambiental
Por que tanta preocupação?
Se o mico-leão,
a ariranha-azul,
a tartaruga marinha,
o panda,
estão em extinção,
a raposa velha,
o gato escaldado,
o rato,
a galinha,
a perua,...
estão em expansão.

Saúde pública
O Ministério da Saúde adverte: falar
“por conta de” dá câncer.

Acontece sempre entre casais muito cultos
- Joana, sua safada, te peguei: me traindo com meu livro de cabeceira!

Das grandes revoluções no comportamento
Se a invenção da pílula liberou a mulher, outra coisa liberou o homem : o miojo.

Das grandes revoluções no comportamento, 2
Houve um tempo em que o nu frontal era um escândalo. Comparado ao que se vê hoje isso é pinto.

Pra 2014
Impressionante como as mulheres falam ao telefone. Nas próximas eleições, dá até pra imaginar, o tema polêmico será a união entre mulheres e celulares – no civil ou no religioso.

O mágico
Primeiro ele tirou uma sequência de lenços coloridos, depois 3 pombinhas, depois 2 coelhos brancos. Não da cartola, da bolsa de uma mulher.

Finanças
A plenitude do sistema bancário é a robotização de tudo, o gasto zero com pessoal . Lá um dia o banqueiro dirá a si mesmo : - Tô gastando demais comigo. Não sei como não me demito.

Música
Noutros tempos chamavam de bate-estaca, uma música que tocava assim: tchacan, tchacan, tchacan. Hoje não sei como chamam. Acham que isso é música? Não, é autoflagelo.

O problema
O problema não são as piadas que a gente fazemos. São as piadas que a gente somos.

Sobre Vasqs:
Vasqs, nosso companheiro de Overmundo, publica regularmente no Ostras ao Vento, o seu blog e em outros sites da Internet.
Na verdade Vasqs é uma estrela que brilha no mundo humoristico, escreve para vários sites e por sua constância aqui no nosso sítio cultural o elegemos "Colaborador de Ouro".

domingo, 21 de novembro de 2010

MAESTRO PAULINO CHAVES



Recebi de Lucia Maria Chaves Tourinho, neta do Maestro Paulino Chaves e entre emocionada e surpresa com a coincidência, já que meu avô o também Maestro Jerônimo Guedes foi o fundador da Banda Paulino Chaves em Abaetetuba, repasso a todo o povo do Pará, do Brasil e do mundo, o convite para o lançamento dessas duas obras que contam deste magnífico músico que muito nos honrou quando de sua passagem por estas bandas do Norte brasileiro

Sobre Paulino Chaves:
Paulino Chaves nasceu em Natal/RN e em 26/06/1883, com quatro meses, seguiu com sua família para Belém/PA, onde seu pai, o desembargador Ernesto Adolpho de Vasconcellos Chaves (Carolina Lins Chaves, sua mãe) fôra designado.

Iniciou seus estudos de música com a mãe e a Professora Idalina França, em Belém/PA. Em juventude compôs muitas valsas, schottisches, quadrilhas e pequenos ensaios de óperas.

Esteve duas vezes à Leipzig: de 1899 à 1902 e depois de 1913 à 1914. Seus professores foram: Robert Teichmueller (piano); Salomon Jadassohn (harmonia, contra-ponto e fuga) e por indicação deste, Paul Quasdorf.

Paulino Chaves foi um romântico com influência de vários compositores europeus. Introduziu no Pará a regência moderna com os conhecimentos adquiridos com Arthur Nikish.

Veio pela primeira vez ao Rio de Janeiro em junho de 1908, dando aqui seu primeiro concerto no dia 3 de agosto do mesmo ano, abrindo o programa da "Exposição Nacional", com o "1º "Concerto em Mi Bemol", de Franz Lizst, regido por Alberto Nepomuceno.

Neste ano, excurciona por várias cidades (Natal, Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro) se apresentando como solista e regente.

Transfere-se em 1910 para Manaus/AM.

Em 1914, cria o que poder-se-ia chamar de a primeira escola pianística paraense, uma espécie de curso preparatório para aqueles pianistas que queriam seguir para cidade de Leipzig, Alemanha.

Trabalhou a técnica do "Coro Orfeônico" nas suas atividades de professor nas escolas de Belém e Manaus e o "Coral Sacro" na direção do "Coro de Santa Cecília" que se originou do grupo "Canto Coral Paulino Chaves" fundado em 1916.

Em 1915, cria e dirige o "Centro Musical Paraense".

Em 1918, funda o "Quarteto Beethoven" difundindo a música de câmera.

É notável sua preferência pela grande orquestra pois quase todas as suas composições para piano, piano e canto, eram transcritas para orquestra.

Em setembro de 1927, Paulino Chaves mudou-se para o sudeste do Brasil.

Compôs na maturidade peças para piano, estudos, peças didáticas, canções, valsas, hinos, músicas sacras, quartetos de cordas, incluindo uma sinfonia e uma missa.

Fontes:
Presto Editoração de Partituras
Lucia Maria Chaves Tourinho via e-mail

LINE VAUTRIN - DESIGNER POÉTICA

"A Vida é Assim" - Bracelete


"Pombo Correio" - Brincos

A Palavra e o Silêncio" A palavra é prata e o silêncio é ouro - Estojo de pó compacto


"O reconhecimento é a memória do coração" - Cigarreira


Sobre a designer de jóias:
Line Vautrin foi uma daquelas pessoas tão criativas e empreendedoras que não fazia
apenas uma coisa bem. Ela fez muitas coisas ótimas.

Sua primeira produção foi aos cinco anos, quando criou e produziu sozinha um chapéu para dar de presente para sua mãe. Aos quinze, após abandonar os estudos – era considerada sonhadora demais e não era exatamente a aluna exemplar -, Vautrin começou a trabalhar.

Depois de algumas frustrações em seus primeiros empregos, percebeu que era melhor se tornar sua própria chefe. Começou, então, a manipular metais, assim como fazia seu pai. Autodidata, desenvolvia as próprias técnicas que usava. Foi assim que começou a fazer joias e vendê-las por toda Paris.
Algum tempo depois, os negócios expandiram e veio a primeira loja, modesta. Suas peças eram artesanais e exclusivas. Produzia apenas algumas peças de cada “obra”.

Depois de descobrir uma resina diferente, passou a desenvolver também peças para decoração de interiores, como luminárias e os badalados espelhos, mas sem nunca abandonar as joias.

De todas as suas inspirações, uma das mais marcantes era a habilidade em fazer as peças contarem histórias. Com humor e bom-gosto, fazia um jogo de recortar poemas e provérbios, combinando-os a símbolos e signos, que tornavam a jóia parte de um conto ilustrado.

Quando completou 50 anos, Line cansou da vida de empresária e decidiu se dedicar apenas a dar aulas, além de fazer esculturas, então, sua mais recente paixão.

A escolha do bronze como metal primordial de sua produção também dificultou a classificação de seu trabalho como “joia”. Joias? Esculturas? Utilitários? Muito antes do termo “contaminação” aparecer no cenário artístico, Line estava preocupada em criar, em propor, em executar.
Suas peças já foram expostas em vários museus ao redor do mundo, e fazem parte da coleção permanente do museu Victoria e Albert, em Londres. E serviram de inspiração para outros artistas múltiplos como Robert Lee Morris e Rey Kawakubo, estilista da Comme des Garçons.

Line morreu em 1997, mas seu legado permanece e permanecerá por muitos anos. Uma inspiração de mulher, de criadora. Uma musa.


Fonte:
Último Segundo

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

SONIA NASCIMENTO- SHOW "INVENTO"


Depois do aquecimento na temporada que encerrou na terça-feira, 07, no Espaço Reator, o show Invento segue para o Teatro Margarida Schivasappa do Centur, onde será apresentado no dia 15 de dezembro, a partir das 20h, dentro do projeto Uma Quarta de Música.

SÔNIA NASCIMENTO- SHOW INVENTO

A banda é formada por Renato Torres (guitarra), Rubens Stanislaw (baixo) e Diego Xavier (bamdolim e percussão).


Sonia Nascimento por ela mesmo:
Minhas influências surgem através de uma infância cheia de música. Das grandes serestas( Noel, Pixinguinha, Braguinha, Cartola, Dolores Duran....) aos ídolos do Rock (The Beatles, Elvis, Mutantes, Secos e Molhados, Rita Lee, Stones......). e por ai vai.
Semelhantes Sou viciada em música, gosto de MPB e de suas vertentes: Zeca Baleiro, Paralamas, Lenine, Milton Nascimento, Rita Ribeiro, Cássia Eller, Nando Reis, Arnaldo Antunes, Rita Lee..... Não vivo sem isso..... Amo a voz. Também fico a analisar a voz do próximo.....rsrsrsrsrsrsrsrs.

Assista a um vídeo de Sonia nascimento:


Fontes:
You Tube
Sonia Nascimento via Orkut

BENÍCIO - UM ILUSTRE ILUSTRADOR











José Luiz Benício da Fonseca, nome artístico Benício (Rio Pardo, 14 de dezembro de 1936) é um ilustrador e desenhista brasileiro.
Começando na carreira como aprendiz de desenhista em Porto Alegre com apenas 16 anos, transferiu-se para ao Rio de Janeiro em 1953, passando a trabalhar em departamentos de arte de agências de publicidade e na Editora Rio Gráfica. Benício chegou a ilustrar história em quadrinhos, mas nunca se considerou apto para isso. A partir de 1961, começou a trabalhar para a McCann Erickson Publicidade, fez importantes trabalhos para a Coca-Cola, Esso e outros grandes clientes. Em 1963, já consagrado, muda-se para a Denison Propaganda.

Fontes:
Humanismo y Conectividad
Wikipédia
Site de Benício

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com