Ajuruteua

Ajuruteua

terça-feira, 31 de agosto de 2010

LIA SOFIA

CHICO BUARQUE - JOANA, A FRANCESA

LÍGIA SAAVEDRA canta CABANO

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

FRUTO DA CRIAÇÃO - LÍGIA SAAVEDRA


FRUTO DA CRIAÇÃO


Nos meus pecados mostro os erros
Que fogem das retas
Mas reconhecendo os defeitos
Retomo o curso, à vida e às metas.

Busco asas, desprezo fórmulas,
E aqui me derramo inteira
Pois penso que poesia não tem cara,
Tem alma.

Pesco anjos. Nunca os caídos.
Culpo aos demônios para exorcizar o mal
E assim os expulso do meu Terceiro Céu
Nessa incessante fuga do Inferno real.

Penso que o mundo nunca se moldará aos egoístas
Esconjurando e condenando vícios.
Sobreviverá ensinando a obediência
E esculpindo santos aos pés da Árvore da Vida.

Toco o meu caminho na partitura do Bem.
A humanidade é roxa e eu...
Bem, eu invento estórias.


LÍGIA SAAVEDRA

Imagem da Internet

HOMENAGEM A WALTER BANDEIRA - LÁGRIMA DOS BARES

LANÇAMENTO DA REVISTA kamikASES






o tão esperado lançamento da kamikASES revista literária será na próxima quinta-feira...

lançamento da revista kamikASES
dia: 02 / 09 / 2010 (quinta-feira)
local: auditório Kaos (bloco Kb / UFPA - Rua Augusto Corrêa, 01, Guamá - Belém Pará)
às 19:30 horas.

ps - a revista será distribuída gratuitamente no dia do lançamento.


coletivokamikaze@hotmail.com

para mais informações sobre a revista visite nosso blog:
www.revistakamikases.blogspot.com

Fonte:
Harley Dolzane por e-mail

AÇAÍ COM JABÁ

ESCULTURAS EM ARAME





Fonte:
http://www.quebarato.com.br/esculturas-em-arame-artes-plasticas__A220E.html

EDGAR ALLAN POE



O CORVO

Em certo dia, à hora, à hora
Da meia-noite que apavora,
Eu caindo de sono e exausto de fadiga,
Ao pé de muita lauda antiga,
De uma velha doutrina, agora morta,
Ia pensando, quando ouvi à porta
Do meu quarto um soar devagarinho
E disse estas palavras tais:
"É alguém que me bate à porta de mansinho;
Há de ser isso e nada mais."

Ah! bem me lembro! bem me lembro!
Era no glacial dezembro;
Cada brasa do lar sobre o chão refletia
A sua última agonia.
Eu, ansioso pelo sol, buscava
Sacar daqueles livros que estudava
Repouso (em vão!) à dor esmagadora
Destas saudades imortais
Pela que ora nos céus anjos chamam Lenora,
E que ninguém chamará jamais.

E o rumor triste, vago, brando,
Das cortinas ia acordando
Dentro em meu coração um rumor não sabido
Nunca por ele padecido.
Enfim, por aplacá-lo aqui no peito,
Levantei-me de pronto e: "Com efeito
(Disse) é visita amiga e retardada
Que bate a estas horas tais.
É visita que pede à minha porta entrada:
Há de ser isso e nada mais."

Minha alma então sentiu-se forte;
Não mais vacilo e desta sorte
Falo: "Imploro de vós - ou senhor ou senhora -
Me desculpeis tanta demora.
Mas como eu, precisando de descanso,
Já cochilava, e tão de manso e manso
Batestes, não fui logo prestemente,
Certificar-me que aí estais."
Disse: a porta escancaro, acho a noite somente,
Somente a noite, e nada mais.

Com longo olhar escruto a sombra,
Que me amedronta, que me assombra,
E sonho o que nenhum mortal há já sonhado,
Mas o silêncio amplo e calado,
Calado fica; a quietação quieta:
Só tu, palavra única e dileta,
Lenora, tu como um suspiro escasso,
Da minha triste boca sais;
E o eco, que te ouviu, murmurou-te no espaço;
Foi isso apenas, nada mais.

Entro co'a alma incendiada.
Logo depois outra pancada
Soa um pouco mais tarde; eu, voltando-me a ela:
"Seguramente, há na janela
Alguma coisa que sussurra. Abramos.
Ela, fora o temor, eia, vejamos
A explicação do caso misterioso
Dessas duas pancadas tais.
Devolvamos a paz ao coração medroso.
Obra do vento e nada mais."

Abro a janela e, de repente,
Vejo tumultuosamente
Um nobre Corvo entrar, digno de antigos dias.
Não despendeu em cortesias
Um minuto, um instante. Tinha o aspecto
De um lord ou de uma lady. E pronto e reto
Movendo no ar as suas negras alas.
Acima voa dos portais,
Trepa, no alto da porta, em um busto de Palas;
Trepado fica, e nada mais.

Diante da ave feia e escura,
Naquela rígida postura,
Com o gesto severo - o triste pensamento
Sorriu-me ali por um momento,
E eu disse: "Ó tu que das noturnas plagas
Vens, embora a cabeça nua tragas,
Sem topete, não és ave medrosa,
Dize os teus nomes senhoriais:
Como te chamas tu na grande noite umbrosa?"
E o Corvo disse: "Nunca mais."

Vendo que o pássaro entendia
A pergunta que lhe eu fazia,
Fico atônito, embora a resposta que dera
Dificilmente lha entendera.
Na verdade, jamais homem há visto
Coisa na terra semelhante a isto:
Uma ave negra, friamente posta,
Num busto, acima dos portais,
Ouvir uma pergunta e dizer em resposta
Que este é o seu nome: "Nunca mais."

No entanto, o Corvo solitário
Não teve outro vocabulário,
Como se essa palavra escassa que ali disse
Toda sua alma resumisse.
Nenhuma outra proferiu, nenhuma,
Não chegou a mexer uma só pluma,
Até que eu murmurei: "Perdi outrora
Tantos amigos tão leais!
Perderei também este em regressando a aurora."
E o Corvo disse: "Nunca mais."

Estremeço. A resposta ouvida
É tão exata! é tão cabida!
"Certamente, digo eu, essa é toda a ciência
Que ele trouxe da convivência
De algum mestre infeliz e acabrunhado
Que o implacável destino há castigado
Tão tenaz, tão sem pausa, nem fadiga,
Que dos seus cantos usuais
Só lhe ficou, na amarga e última cantiga,
Esse estribilho: "Nunca mais."

Segunda vez, nesse momento,
Sorriu-me o triste pensamento;
Vou sentar-me defronte ao Corvo magro e rudo;
E mergulhando no veludo
Da poltrona que eu mesmo ali trouxera
Achar procuro a lúgubre quimera.
A alma, o sentido, o pávido segredo
Daquelas sílabas fatais,
Entender o que quis dizer a ave do medo
Grasnando a frase: "Nunca mais."

Assim, posto, devaneando,
Meditando, conjecturando,
Não lhe falava mais; mas se lhe não falava,
Sentia o olhar que me abrasava,
Conjecturando fui, tranqüilo, a gosto,
Com a cabeça no macio encosto,
Onde os raios da lâmpada caiam,
Onde as tranças angelicais
De outra cabeça outrora ali se desparziam,
E agora não se esparzem mais.

Supus então que o ar, mais denso,
Todo se enchia de um incenso.
Obra de serafins que, pelo chão roçando
Do quarto, estavam meneando
Um ligeiro turíbulo invisível;
E eu exclamei então: "Um Deus sensível
Manda repouso à dor que te devora
Destas saudades imortais.
Eia, esquece, eia, olvida essa extinta Lenora."
E o Corvo disse: "Nunca mais."

"Profeta, ou o que quer que sejas!
Ave ou demônio que negrejas!
Profeta sempre, escuta: Ou venhas tu do inferno
Onde reside o mal eterno,
Ou simplesmente náufrago escapado
Venhas do temporal que te há lançado
Nesta casa onde o Horror, o Horror profundo
Tem os seus lares triunfais,
Dize-me: "Existe acaso um bálsamo no mundo?"
E o Corvo disse: "Nunca mais."

"Profeta, ou o que quer que sejas!
Ave ou demônio que negrejas!
Profeta sempre, escuta, atende, escuta, atende!
Por esse céu que além se estende,
Pelo Deus que ambos adoramos, fala,
Dize a esta alma se é dado inda escutá-la
No Éden celeste a virgem que ela chora
Nestes retiros sepulcrais.
Essa que ora nos céus anjos chamam Lenora!"
E o Corvo disse: "Nunca mais."

"Ave ou demônio que negrejas!
Profeta, ou o que quer que sejas!
Cessa, ai, cessa!, clamei, levantando-me, cessa!
Regressa ao temporal, regressa
À tua noite, deixa-me comigo.
Vai-te, não fica no meu casto abrigo
Pluma que lembre essa mentira tua,
Tira-me ao peito essas fatais
Garras que abrindo vão a minha dor já crua."
E o Corvo disse: "Nunca mais."

E o Corvo aí fica; ei-lo trepado
No branco mármore lavrado
Da antiga Palas; ei-lo imutável, ferrenho.
Parece, ao ver-lhe o duro cenho,
Um demônio sonhando. A luz caída
Do lampião sobre a ave aborrecida
No chão espraia a triste sombra; e fora
Daquelas linhas funerais
Que flutuam no chão, a minha alma que chora
Não sai mais, nunca, nunca mais!

trad. Machado de Assis - 1883
Edgar Allan Poe


Sobre o autor:

Edgar Allan Poe (Boston, 19 de janeiro de 1809 – Baltimore, 7 de outubro de 1849) foi um escritor, poeta, romancista, crítico literário e editor estado-unidense.
Poe é considerado, juntamente com Jules Verne, um dos precursores da literatura de ficção científica e fantástica modernas. Algumas das suas novelas, como The Murders in the Rue Morgue (Os Crimes da Rua Morgue), The Purloined Letter (A Carta Roubada) e The Mystery of Marie Roget (O Mistério de Maria Roget), figuram entre as primeiras obras reconhecidas como policiais, e, de acordo com muitos, as suas obras marcam o início da verdadeira literatura norte-americana.

Fonte:
Wikipédia

JOELMA CLÁUDIA

PEDRINHO CAVALLÉRO

FESTIVAL SE RASGUN


Festival Se Rasgum seleciona bandas locais

Antenada em revelar nomes promissores no rock paraense, a produtora Dançum Se Rasgum abriu inscrições para as Seletivas do V Festival Se Rasgum, que será realizado em novembro. Para os músicos que querem participar do festival, é bom se apressar: as inscrições vão só até o dia 5 de setembro. As Seletivas são abertas a bandas da capital e do interior paraense. As apresentações das Seletivas serão nos dias 24 e 25 de setembro, no Hotel Gold Mar, marcando o lançamento do V Festival Se Rasgum.

Este ano, o festival dobrou o número de vagas para os grupos classificados na “disputa de bandas”. Agora, serão seis vagas para as bandas que forem escolhidas pelo público, jurados e votos de internet. As seis finalistas entrarão na programação do V Festival Se Rasgum, que ocorrerá nos dias 12, 13 e 14 de novembro.

Na primeira etapa, todas as bandas poderão se inscrever através do portal Conexão Vivo (www.conexaovivo.com.br/serasgum), consultando o edital e criando um perfil no portal Conexão Vivo (para quem ainda não tiver). Após as notas dadas pelos jurados (composto por nomes nacionais e locais ligados à nova música brasileira), as 20 bandas com maior pontuação participarão das apresentações dos dias 24 e 25 setembro, no Gold Mar.

E o público já poderá votar através da internet em sua banda favorita desde a divulgação das 20 que se apresentarão nas Seletivas, até o momento da apresentação da última banda. Nos dias das apresentações, 24 e 25 de setembro, o voto do público fará toda a diferença nos locais dos shows, que poderá votar através de cédulas que serão distribuídas na entrada. As bandas inscritas terão que mobilizar sua galera.

Os seis grupos finalistas, que participarão do V Festival Se Rasgum, terão o voto do público, dos jurados e pela internet. Eles serão revelados na noite do dia 25, antes da apresentação da banda nacional, que encerrará as Seletivas 2010 e fará o lançamento do V Festival Se Rasgum.

PRÊMIOS

Além de participar da quinta edição do Festival Se Rasgum, as três primeiras bandas que tiverem maior pontuação (das seis classificadas) também receberão um pacote de prêmios exclusivo, incluindo gravação de quatro músicas no estúdio Ná Figueredo; confecção de marca, hotsite e encarte para o CD pela Libra Design; produção de um ensaio fotográfico assinado por Renato Reis; quatro horas de ensaio no Fábrika Estúdio; e confecção de um release de imprensa com tratamento profissional.

No ano passado, foram mais de 100 bandas inscritas, que passaram pelo crivo de jurados locais e nacionais, todos com nomes ligados ao cenário musical. Participaram das votações nomes como Iuri Freiberge (produtor), Fernando Rosa (jornalista e dono do selo Senhor F), Fabrício Nobre (presidente da Abrafin e produtor dos festivais Goiânia Noise e Bananada) e Rodrigo Lariu (jornalista e dono do selo Midsummer Madness).

As Seletivas 2009 foram sucesso entre público e bandas, que apontaram o evento como uma prévia a altura do Festival Se Rasgum, que se tornou uma grande vitrine para bandas que ainda não haviam se apresentado com estrutura de palco profissional e para um público interessado.

SERVIÇO

Até 5 de setembro, inscrições para as Seletivas do V Festival Se Rasgum, no portal Conexão Vivo (www.conexaovivo.com.br/serasgum). Patrocínio: Vivo e Estácio FAP. Realização: Dançum Se Rasgum Produciones. Co-Produção: Sonique Produções. Parceiros: MTV Belém, Libra e Gotaz. Apoio: Old School Rock Bar.

Fonte:
Diário do Pará- Colunas

"TIMBRES" INTERNACIONAL










Nascido na Província de Córdoba, Ábalos é professor graduado no Conservatório Superior de Música Felix Garzón, instituição criada em 1911. Em 2008 ele lançou o álbum "En viaje", no qual teve a participação de vários músicos argentinos.

Com produção e apresentação de Osvaldo Bellarmino Jr, o programa 'Timbres' tem entrada franca e é transmitido aos domingos pela Rádio e TV Cultura do Pará, podendo ser visto também no Portal Cultura.

Devido ao feriado pelo Dia da Independência, não haverá gravação no dia 7 de setembro. O programa voltará a ser gravado no dia 14, apresentando o Quarteto de Cordas da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

Serviço: Neste terça-feira (31), às 18h, na Capela do São José Liberto (Praça Amazonas), acontece o programa 'Timbres', com Sergio Ábalos, Sebastião Tapajós e Andréa Pinheiro. Entrada franca.

Fonte:
(Diário Online, com informações da assessoria)
Fotos da WEB

CECÍLIA MEIRELES




MAPA DE ANATOMIA : O OLHO


O Olho é uma espécio de globo,
é um pequeno planeta
com pinturas do lado de fora.
Muitas pinturas:
azuis, verdes, amarelas.
É um globobrilhante:
parece cristal,
é como um aquário com plantas
finamente desenhadas: algas, sargaços,
miniaturas marinhas, areias, rochas,
naufrágios e peixes de ouro.

Mas por dentro há outras pinturas,
que não se vêem:
umas são imagens do mundo,
outras são invetadas.

O Olho é um teatro por dentro.
E às vezes, sejam atores, sejam cenas,
e às vezes, sejam imagens, sejam ausências,
formam, no Olho, lágrimas.



Cecília Meireles

WALLY SALOMÃO

MEMÓRIA DA PELE - JOÃO BOSCO

MUSICA CUBANA

CLAUDE MONET


Ninféias, 1914 - óleo sobre tela


O jardim em Argenteul, 1873 (Le Jardim de Monet à Argenteul - les Dahlias - óleo sobre tela)


Embaixo do Limoeiro(1884)

NEY MATOGROSSO COM UM "BEIJO BANDIDO"




Show Ney Matogrosso
Início: 07/08/2010 21:00
Evento: O artista volta a Belém com o show do seu novo disco "Beijo Bandido", acompanhado por um quarteto de cordas. O repertório do espetáculo é composto por músicas que marcaram a carreira do cantor, com destaque para canções do atual CD.

Ingressos: Pista R$ 60 (aceita meia-entrada), nos stands do Parafolia, localizados no Pátio Belém (3º piso) e Shopping Castanheira (2º piso).

Realização: Bis Entretenimento.

Mais informações: (91) 3242-7766 ou www.parafolia.com.br
Show Ney Matogrosso
Início: 07/08/2010 21:00
Evento: O artista volta a Belém com o show do seu novo disco "Beijo Bandido", acompanhado por um quarteto de cordas. O repertório do espetáculo é composto por músicas que marcaram a carreira do cantor, com destaque para canções do atual CD.

Ingressos: Pista R$ 60 (aceita meia-entrada), nos stands do Parafolia, localizados no Pátio Belém (3º piso) e Shopping Castanheira (2º piso).

Realização: Bis Entretenimento.

Mais informações: (91) 3242-7766 ou www.parafolia.com.br

Fonte:
hangarcentrodeconvencoes.com.br

ARIANO SUASSUNA NA FEIRA PAN-AMAZÔNICA DO LIVRO




Pelo quarto ano consecutivo, Ariano Suassuna participa da programação literária da Feira Pan-Amazônica do Livro e, como de costume, lotou o auditório durante sua apresentação. Falando para uma plateia de fãs anônimos e alguns ilustres - como os escritores Ziraldo, Mario Prata e
Zoel Zito, que também participam da Feira do Livro - o escritor, poeta e dramaturgo, no auge dos seus 83 anos, comandou um papo descontraído no qual contou histórias bem-humoradas de sua vida.

O escritor fez questão de destacar sua relação com o tema desta edição da Feira, “África que fala português”. “Estou escrevendo uma série de sete romances baseados nos países que falam o português, entre eles estão os países africanos Angola, Moçambique e São Tomé”, disse o escritor, comprovando que ainda está no auge de sua produção literária. Ele acrescentou ainda que a união entre as nações é essencial para defender um rico e único
patrimônio: a língua portuguesa.

O que não falta é história no repertório de Suassuna e mesmo com uma carreira extensa, ele afirma que o sucesso não lhe sobe a cabeça. “Quando eu dava aula na faculdade, meus alunos ficavam encantados por meu livro ‘A Pedra do Reino’ ter sido estudado pela Faculdade de
Coimbra. Expliquei a eles que os únicos brasileiros famosos em Portugal eram Pelé e Sônia Braga”, brincou. E é assim, com um jeito descontraído e encantador, que inevitavelmente
Ariano conquista o público com seu jeito irônico e inteligente de abordar temas que vão desde cultura popular passando por reminiscências poéticas até chegar às suas raízes nordestinas.

Neste domingo o cartunista Ziraldo fez duas sessões de autógrafo às 10h30 e 16h30, e
às 19h30 Caco Barcellos conversou com o público sobre jornalismo.

Fontes:
Texto: Thiago Freitas
Foto: Mauro Monteiro
Edição: Esperança Bessa
Assessoria de imprensa da Feira Pan-Amazônica do Livro

QUINTA CUBANA no VITROLA

domingo, 29 de agosto de 2010

A PARTITURA DO SEXO



Fonte:
Powered by BannerFans.com

A EVOLUÇÃO DA PRIMAVERA





Desabrocho em versos – a miragem

Antecipando a florescência poética – a quimera

De uma vida - quase perfeita

Contando sementes de emoção espalhadas – à toa

Por força da sensibilidade – a tristeza

E da natureza – a beleza

Faço brotar - anjos

Imaginação, fantasia e sonho – o poema


Incito a criação – a ilusão
O momento de semear – a esperança
A época de florir – a perspectiva
O tempo de poetar – o pensamento
O tempo passa
Enfrutece-me a alma
Enriquece-me a posteridade
E germina arte.


LÍGIA SAAVEDRA

Publicado no Overmundo em 18.12.2007

Imagem da WEB

O GRANDE SHOW NO CÉU - PINK FLOYD

SALÃO INTERNACIONAL DE HUMOR DA AMAZÔNIA




Salão Internacional de Humor da Amazônia com novidades em 2010
Ecologia no Traço. Essa é a temática do 3° Salão Internacional de Humor da Amazônia, que será realizado de 17 a 27 de setembro, no Espaço São José Liberto, em Belém.
O evento desse ano propõe mostrar o talento e a crítica de todos os cartunistas preocupados com os problemas ecológicos que afligem o nosso planeta, particularmente a Amazônia, através da arte gráfica.
O evento também está repleto de novidades, se comparado as edições anteriores. No ano passado, o Salão de Humor da Amazônia reuniu trabalhos de 25 países, expostos no Espaço São José Liberto. Em 2010, o salão retorna ao mesmo espaço com um período de exposição ampliado. O público terá nove dias para conferir o que de melhor o humor gráfico mundial está produzindo atualmente.

Esta é apenas a primeira novidade do evento para este ano. A segunda novidade é que os cartunistas irão concorrer em três categorias. Além do tradicional tema Ecologia, o salão terá um tema livre e uma nova categoria: caricatura. Com isso, serão selecionados um total de 150 trabalhos.

Os artistas concorrerão a uma premiação de R$ 12 mil. Os vencedores do tema Ecologia receberão R$ 4 mil (1º lugar) e R$ 2 mil (2º lugar). No tema livre, o 1º colocado receberá R$ 2 mil e o 2º, R$ 1 mil. Na categoria Caricatura, a premiação é de R$ 2 mil (1º lugar) e R$ 1 mil (2º lugar).

As inscrições podem ser feitas até o dia 31 de agosto, pelo site:www.salaohumordaamazonia.com. O evento é aberto à participação de cartunistas de todo Brasil e do mundo.

Serviço:
3º Salão Internacional de Humor da Amazônia - Ecologia no Traço
Período: 17 a 27 de setembro
Local: Espaço São José Liberto
Inscrições: Até o dia 31 de agosto (terça), pelo sitewww.salaohumordaamazonia.com
Patrocínio: Oi (através da Lei Semear).
Apoio cultural: Hilton Hotel (Lei Tó Teixeira) e Oi Futuro.
Apoio institucional: Espaço São José Liberto.

Fonte:
Guiart.com.br

CANAL GRATUITO DO YOU TUBE - FILMES INTEIROS




O You Tube está disponibilizando um canal gratuito onde vc poderá baixar filmes inteiros.
O endereço é:

http://www.youtube.com/movies

Aproveite!

"AMAR" de FLORBELA ESPANCA

PARE E PENSE!

sábado, 28 de agosto de 2010

BELÉM - PARÁ - BRASIL com MOSAICO DE RAVENA

OS 39 DEGRAUS




Alfred Hitchcock tornou-se o mestre do suspense graças a um recurso simples e, ao mesmo tempo, engenhoso: em boa parte de seus filmes, um homem, apesar de inocente, é apontado como culpado por algum crime e só lhe resta a alternativa de provar a inocência. A primeira vez que o diretor exercitou tal estratégia foi em um filme de 1935, ainda em sua fase britânica, chamado "Os 39 Degraus". O longa inspirou duas refilmagens e uma adaptação de sucesso para a Broadway, cuja versão nacional estreia amanhã, no Teatro Shopping Frei Caneca, em São Paulo.

PUBLICIDADE

"Quando assisti à montagem em Nova York, há alguns anos, fiquei fascinado, mas duvidava que a produção pudesse chegar ao Brasil graças à sua complexidade", comenta o ator Dan Stulbach, que vive o protagonista Richard Hannay. De fato, apesar de contar com apenas quatro atores em cena (os demais são Danton Mello, Fabiana Gugli e Henrique Stroeter), a peça tem mais de 30 personagens, todos envolvidos na trama em que Richard Hannay é acusado de assassinar a linda agente secreta, com sotaque alemão, Annabela Schimit. "Isso exige um trabalho de grande precisão, envolvendo contrarregras e técnicos de iluminação", observa Stulbach.




"Foi justamente essa mecânica, aliada a uma história engraçada, que me motivou a aceitar a direção", conta Alexandre Reinecke, que também viu a versão na Broadway, ficando igualmente empolgado. A peça exige, de fato, uma produção complexa. Ao tentar provar sua inocência, Richard Hannay foge para a Escócia, onde pretende investigar as informações passadas por Annabela. No caminho, cruza com diversas pessoas, especialmente Pamela, moça que desenvolve uma estranha forma de relacionamento com ele, pois ora o denuncia para a polícia, ora o ajuda na fuga. "Nessa correria, interpreto 13 personagens, o que me obriga a trocar de roupa em alguns segundos", conta Henrique Stroeter, que interpreta homens e mulheres. "É tudo tão maluco que, às vezes, eu assumo um personagem que já foi vivido por ele, instantes atrás", diverte-se Danton Mello, que também assume outra dúzia de papéis.

A peça revive um gênero que marcou o cinema americano nos anos 1930 e 40, a screwball comedy, ou a comédia maluca, em que os diálogos são disparados como metralhadora. "Na verdade, apesar de manter até 80% dos diálogos do filme de Hitchcock, a peça é uma grande homenagem ao teatro", observa Reinecke. "É um desafio, pois apresenta várias técnicas e gêneros de cena, como o melodrama, a dupla de clowns, teatro de sombra, mímica e muita expressão corporal."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

IV ENAPEL



Fonte:
Associação de Leitura do Brasil

PORTUGAL NO CINEMA PARAENSE





Cine Líbero Luxardo apresenta os filmes portugueses "Portugal S/A e "A Religiosa Portuguesa"
Data: 26 e 28 de agosto (quinta e sábado) - “Portugal S.A.”
27 e 29 de agosto (sexta e domingo) - “A Religiosa Portuguesa”
Horário: 19h30
Local: Cine Líbero Luxardo (Fundação Tancredo Neves /Centur) – Av. Gentil Bitencourt, 650
Informações: (91)3202-4321
Entrada Franca





Fonte:
Guiart.com.br

APRENDENDO COM AS RAPOSAS

FOTOS MÁGICAS - COLLIN BOGLE




Por mais incrível que possa ser, isso é o retrato de uma pintura, apesar de parecer uma foto natural. Isso é coisa de um gênio norte americano chamado Collin Bogle.

Collin criou um seguimento nacional por sua natureza incrivelmente realista da fauna animal e pinturas de flores. "A luz desempenha um papel importante no meu trabalho", afirma o artista. "Uma abundância de luz e as sombras criam um playground para mim, permitindo que as minhas pinturas da natureza tenham uma vida própria." Inspirado pela beleza da natureza, Collin combina aquarela, lápis de cor e pastel para criar o seu realismo detalhado e dramaticamente iluminado da vida selvagem, animais e flores, pinturas originais e cópias da bela arte.

Se você achou bonita a imagem acima prepare-se então para uma viagem maravilhosa ao mundo animal fantástico de Collin Bogle, é só acessar o link:

http://www.collinbogle.com/




Fonte:
Powered by BannerFans.com

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

PATRICIA REHDER GALVÃO - PAGU

TARSILA DO AMARAL

O BALÉ EM FOTOS




Fotos de « »کτγℓع ♥ Etiquetas♥ کτγℓع« » - « »کτγℓع ♥LOVE BALLET♥ کτγℓع« »

Fonte:
Infinitos Mundos

MURAL DOS ESCRITORES - CERTIFICADO


Mural dos Escritores, apresentado como melhor canal alternativo de leitura do eixo 4, indicado pelo Programa Nacional do Livro e da Leitura - PNLL - Brasil, apresentado durante a Bienal de São Paulo.

Diz, Lígia Saavedra;
Como colaboradora do Mural dos Escritores, esta comunidade cultural que se destaca cada vez mais na realidade literáría de nosso país, sinto-me orgulhosa e deixo aqui os nossos "Parabéns, a todos os seus idealizadores!"

ANDREA PINHEIRO & PAULO JOSÉ

LETÍCIA SECCO

"JE SAIS" - JEAN GABIN


Diz, Lígia Saavedra:

MUITO LINDO!
Texto e canção.
Confira!

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA "AMAZÔNIA, ESTRADAS DA ÚLTIMA FRONTEIRA"



O Museu Histórico do Estado do Pará abre as portas no dia 5 de agosto (quinta) para a exposição de fotografias “Amazônia, estradas da última fronteira”. O autor é o repórter fotográfico Paulo Santos, um dos mais experientes profissionais do setor hoje em atuação no país.

A exposição, um dos eventos que integra o projeto que prevê o lançamento de livros, é uma forma do autor mostrar as transformações sofridas pela Amazônia ao longo das três últimas décadas, expressando com imagens e palavras, as díspares realidades que caracterizam e ainda estão presentes na região em variadas dimensões de tempo e em diferentes contextos.


Exposição Fotográfica “Amazônia, estradas da última fronteira”, de Paulo Santos

Abertura: 05 de agosto (quinta)
Visitação: 06 de agosto a 24 de setembro
Horários: terça a domingo – 10h às 16h
Local: Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP) – Palácio Lauro Sodré (Praça Dom Pedro II, s/n - Cidade Velha – Belém/PA)
Informações: (91) 4009-8830
Blog: http://estradasdaultimafronteira.blogspot.com/

JOVENS TALENTOS DO PARÁ


JULIANA SINIMBÚ E ARTHUR NOGUEIRA

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com