Ajuruteua

Ajuruteua

sábado, 5 de junho de 2010




Padeço de abandono.
Na dor aflita que me toma
a sombra de uma lembrança
cultivo o amargor da vida.

Ao ermo de minha clausura
grito, clamo por mais um sofrimento
escarnecendo a felicidade
que um dia se fez minha noiva.

Vendo partir a memória
o ácido ódio injeta
no tempo que esparge a dor
lindas flores de saudade

E num repente maldito
avanço para o abismo
lançando-me à solidão
dos sonhos que se derramam.


LÍGIA SAAVEDRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com