Ajuruteua

Ajuruteua

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

ANA DA CRUZ


REVERBERAR O QUE HÁ DE BOM

Todo aquele que conseguiu de fato contribuir
para as mudanças mais sensíveis no mundo
teve que ser gigante em si mesmo e reverberar:
Jesus Cristo, Gandhi, Buda, Martin Luther King,
Chico Xavier, Madre Teresa de Calcutá, Irmã Dulce...

Cada um esteja voltado a vencer dentro de si
o medo, a inveja, o egoísmo, a prepotência...
porque vencer a sombra dos demônios internos,
é parte da nossa missão para um mundo melhor.

Os princípios de todos os grandes mestres da humanidade,
foram grande humildade diante de Deus Universo Natureza
e a sua bondade diante do outro e do mundo que o cerca.
Olhe para uma receita que deu certo, terá um bom caminho.

Existe algo a que se deve sempre respeitar:
a vida que o Criador deu, só ele pode tirar...
Aquele que tira a vida, o seu erro é grande...
Como roubar de alguém um presente de Deus?

Provocar sorrisos onde houver lágrimas é uma boa ação
que deve se tornar natural por onde quer que se passe...
tal como respirar. A bondade é o princípio de uma religião.
Se você conseguiu encontra-la, continue assim então...

Lutemos por essa construção em nós
ou nunca acharemos nossas respostas,
nem conseguiremos ajudar aos outros,
se nem de nós sabemos - somos frágeis.

Se há alguém triste, onde é que se escondeu seu sorriso?
Se tem alguém sentado numa plataforma esperando o trem...
Um pouco de carinho sempre vai bem: uma palavra amiga,
enquanto as mudanças mais expressivas são trabalhadas.

Eu sonho com um mundo justo para todos,
uma natureza que nos sirva de habitat.
Para isso há que se trabalhar consciências,
O único juiz infalível, esse juiz é Deus.

Reverberar o que há de bom é luz que se espalha,
iluminando o que de sombra o mundo já anda cheio.
Ninguém se iguala ao Jesus Cristo, mas o segue:
sua palavra era amar ao próximo como a ti mesmo
e ao Senhor nosso Deus sobre todas as coisas...

Sobre a autora:
Ana da Cruz é educadora, tradutora, escritora, filóloga e agente sócio-cultural brasileira (natural de Juiz de Fora, estado de Minas Gerais, Brasil).

Começou a escrever poesia e prosa e destacar-se, aos 12 anos de idade. Em 1987, começa a fazer ilustrações em grafite.

Graduou-se em Letras: Língua e Literatura - Português, Inglês e Latim – pela Universidade Presidente Antônio Carlos - UNIPAC, com lato senso, em Barbacena. Especializou-se em Docência Universitária em Língua e Literatura Portuguesa, pela Universidade Castelo Branco - UNICASTELO, no Rio de Janeiro.


É autora de:
Ao meu Amor. In Emoções em Prosa e Verso (coletânea). Conselheiro Lafaiete: Narciso de Queirós, 1995.
Ao meu Amor (poesias). Belo Horizonte: Mazza, 1997. RGBN: 433.912
Uma Gramática Holística (didático). Belo Horizonte: Lispector, 1998. RGBN: 433.850
AbraçArte BH - A Arte Pede Paz (co-autoria) Manifesto. Belo Horizonte: CONTROL-Arte e Editora Gráfica, 2003.
O Analfabetismo Funcional – Técnico: Artigo Científico. Revista Estalo nº 2/2004. Belo Horizonte: Jornal Estalo, 2004. Original: O Analfabetismo Funcional (Artigo Científico). Belo Horizonte: UFMG, 2004. Disponível em Web Book >> O Analfabetismo Funcional
Artigos Científicos e Poesias: Estalo, A Revista (co-autoria). Jornal Estalo, 2004/2005;
Iniciação às Drogas e suas Consequências (co-autoria) - Didático-Pedagógico. 3ª edição. Belo Horizonte: Fumarc, 2007. RGBN: 433.839
Redação/Revisão de Artigos, disponíveis on line, na Wikipédia Lusitana (editora contribuinte);
Colunas periódicas em jornais, revistas e websites.

Fonte:
Mural dos Escritores
Google Images

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com