Ajuruteua

Ajuruteua

quinta-feira, 1 de julho de 2010

VERSO EREMITA




VERSO EREMITA


Ouçam!
Vibra o silêncio na solidão
Calam-se os pensamentos
O nada permanece amorfo


A palavra se transforma em nó.
Na garganta seca da boca sem beijo
Impedindo o sentido da alma estéril
Sem ressonância no outro


O deslustrado semblante concentra
Ausência, desprezo, renúncia.
E tácito, abandona-se a eterna companhia.
Do seu Eu anacoreta.


LÍGIA SAAVEDRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COPIE E LEVE COM VOCÊ O NOSSO BLOG E A COR DO AÇAÍ.

BannerFans.com

Recado

Paixaoeamor.com